A possibilidade de levar anos para realizar o que ele definiu como "uma obra relativamente simples" fez com que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, pedisse ao ministro da Infra-estrutura, Tarcísio de Freitas, para que o Executivo municipal assumisse o projeto de construção da área de escape no Anel Rodoviário, no trecho entre a BR-040 e o trevo do bairro Betânia.

"Até licitar aquilo em Brasília, até fazer, nem meu neto irá ver, para variar", justificou o prefeito, ao falar sobre o assunto na tarde deste domingo (29), ao anunciar obras da avenida Xangri-lá, que serão realizadas juntamente com a Prefeitura de Contagem - o local faz divisa entre as duas cidades.

"O ministro foi muito gentil e falou: 'pode fazer, pode resolver que a papelada segue", destacou Kalil, que pretende iniciar os trabalhos em até dois meses.

"Nós ainda precisamos da licença ambiental, mas é um problema que já está resolvido, já que a própria Prefeitura que libera".

A notícia sobre a PBH assumir o projeto no Anel Rodoviário foi dada na quinta-feira, como uma solução para os graves acidentes no local. A área de escape servirá para que caminhões pesados, ao perderem os freios, possam ter uma alternativa de emergência.