O governador Fernando Pimentel assinou nessa terça-feira (14) o edital de licitação para a restauração e ampliação da Escola estadual Paulo Rocha, em Sabará, na região Metropolitana de Belo Horizonte. A escola, centenária, é tombada pelo  Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A restauração custará cerca de R$ 4,2 milhões.

Já a construção de uma nova ponte sobre o rio das Velhas custará R$ 4,5 milhões e será feira na avenida Albert Sharlé. Parte dos custos serão bancados pelo município.

“Nós estamos atendendo a uma demanda antiga e importante de Sabará. A Escola Estadual Paula Rocha está fechada desde 2012, e nós tivemos vários problemas para conseguir chegar ao ponto em que estamos hoje, que é o de assinatura do convênio para possibilitar a obra. Havia um projeto inicial, um projeto feito do governo passado, reprovado pelo Instituto de Patrimônio. Nós tivemos de fazer outro projeto, por isso houve essa demora. Mas agora nós temos a alegria de poder anunciar que estamos garantindo recurso para a reforma”, afirmou o governador.

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, o prédio da escola Paula Rocha foi interditado em 2012, após vistoria de técnicos do Departamento de Obras Públicas de Minas Gerais (Deop-MG), por problemas de infraestrutura. Por isso, desde 2013, os 680 alunos passaram a ter aulas em duas escolas estaduais, a Professor Zoroastro Vianna Passos, que recebe cerca de 560 alunos dos anos finais do ensino fundamental, e a Coronel Adelino Castelo Branco, que recebe cerca de 120 estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental. Com as obras, o prédio será adequado à acessibilidade e dará maior segurança para os alunos. O prédio é tombado nas esferas federal, estadual e municipal.