Depois de fechar 2020 com o lançamento do SUV chinês Territory e da versão Storm da Ranger, a Ford se prepara para novidades em 2021. Sem nenhum produto nacional em mente, a marca se prepara para importar o novo Ford Bronco, assim como o Mustang Mach 1, a van Transit, além da picape Ranger Black.

Essa versão da Ranger foi apresentada como conceito em 2018. Ela se destaca pela decoração em tom preto, com direito à logo original da Ford. Junto do anúncio da picape, o presidente da Ford para América do Sul, Lyle Watters, também confirmou investimentos de US$ 580 milhões para o desenvolvimento da nova geração da picape, que é produzida na planta de Coronel Pacheco, na região metropolitana de Buenos Aires.

Bronco

Mas a cereja do bolo é o SUV Bronco. A Ford trará para o Brasil a versão monobloco do utilitário, o Bronco Sport, que não sabemos se irá se posicionar acima ou abaixo do Territory. Por aqui será oferecido em três versões, todas equipadas com motor EcoBoost 2.0 e transmissão de oito marchas. 

Mas é fato que se a Ford quiser volume terá que investir na seara dos médios abaixo dos R$ 150 mil. E este será o flanco a ser explorado a partir de 2021 por seus rivais. É nele que o Compass faz a maior parte de seu volume, assim como será nele que a VW deverá posicionar o Taos e a Toyota o Corolla Cross. 

No entanto, para ganhar terreno ela precisará de um modelo nacional para não ficar refém da flutuação cambial, ou pelo menos apostar numa solução portenha. Afinal, na Argentina VW e Ford vivem um tico-tico no fubá e não seria surpresa sair um Taos com emblema do Oval Azul.

Mach 1

Outra novidade que deverá aportar no Brasil é o Mustang Mach 1. Ele resgata o nome da famosa versão, lançada em 1968 para a geração original, e que foi reeditada em 1971, 1978 e 2003. Oferecido como série especial, ele é uma opção mais apimentada que o Mustang GT, e que compartilha componentes do Shelby GT350, mas mantém o V8 5.2 de 466 cv.

Sobre o Bronco Sport e o Mustang, Lyle explica que “são veículos que atendem diferentes clientes e segmentos, mas todos têm em comum a conectividade, que estará disponível progressivamente em diferentes países”, disse Watters. “Essa tecnologia traz grande funcionalidade e expande as possibilidades de oferecer uma ampla gama de serviços para atender e superar os crescentes desejos e expectativas dos consumidores”.

Transit

E para fechar a cesta de novidades, a Ford anunciou a fabricação da van Transit no Uruguai. O comercial leve será fabricado na planta da Nordex, que também fabricará a picape francesa Peugeot Landtrek. Segundo a Ford, serão aplicados US$ 50 milhões para a produção da linha comercial, que terá quatro opções: chassi, van, minibus e cabine dupla.