Integrantes da bancada de deputados federais do PSD se reuniram na tarde desta terça-feira (11) com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, em Brasília. Segundo o líder do partido na Câmara, Domingos Neto (CE), a bancada deverá atuar de forma independente no Legislativo, mas tende a apoiar os principais projetos do futuro governo.

"Na grande maioria (da bancada), existe um sentimento de acompanhar (as principais propostas de Bolsonaro), em tese, mas como essas propostas ainda não estão no papel, são pontuais as divergências. No geral, existem muito mais causas que nos aproximam do que causas que nos afastam. Isso é evidente na nossa bancada", afirmou.

“Independentemente de ter espaço ou cargos, nós estamos dispostos a apostar e trabalhar para que esse governo dê certo”, afirmou a deputada federal Raquel Muniz, após o encontro. Segundo ela, o presidente eleito prometeu respeitar os votos e as convicções pessoais de cada parlamentar durante as votações de projetos sem, no entanto, penalizá-los.

Raquel Muniz disse ainda que o tom conciliador do governo com o partido começou na semana passada, quando Onyx Lorenzoni, que assumirá a Casa Civil, fez o convite pessoalmente à bancada para participar do encontro.

A partir da próxima legislatura, no ano que vem, o PSD terá a quinta maior bancada na Câmara, com 34 deputados. Um apoio formal do partido ao governo Bolsonaro dependerá ainda de uma aprovação da Executiva Nacional da legenda, reforçou Domingos Neto.

Participaram do encontro desta terça-feira cerca de 40 deputados e senadores da PSD.

Raquel MunizA deputada federal Raquel Muniz participou do encontro com Bolsonaro

*Com informações da Agência Brasil