O Instituto Brasileiro de Defesa dos Consumidores (Idec) criou uma espécie de ranking para analisar a resistência dos bancos em cumprir os pontos do acordo para repor perdas com planos econômicos. O órgão deu opções “sim” ou “não” a sete tópicos: proatividade, fluxo, resolução, execução, estrutura, pagamento e perspectiva.

Das seis instituições financeiras que fazem parte do ranking, apenas a Caixa recebeu o “sim” em todos os quesitos. Pelo ranking, de acordo com o Idec, “é possível acompanhar como cada instituição se mostra proativa e o índice de resolução de intercorrências em favor do acordo, dentre outros critérios”.

Resposta dos bancos

Em nota, a Caixa informou que “está atendendo de forma proativa os pedidos de adesão dos poupadores, respeitando as condições e os prazos previstos”. E acrescentou que “o êxito da atuação da CEF se demonstra nos resultados divulgados pelo Idec, que avaliam o banco positivamente em todos os critérios de avaliação”.

Também por nota, o Bradesco, que recebeu o sim em cinco quesitos, esclareceu “que vem trabalhando intensamente para a solução de todos os processos elegíveis para o acordo. Informa ainda que 100% dos casos retornados pelo Idec, com aceite de seus associados, já foram pagos”.

Por sua vez, o Banco do Brasil, com seis notas negativas no ranking, informou que “mais da metade dos poupadores aderentes já celebraram seus acordos”. Ainda segundo o Banco do Brasil “do total, mais de 40% do montante envolvido já foi desembolsado pelo Banco do Brasil”.

Já o Itaú informou que “tem trabalhado incansavelmente para honrar o compromisso. Foi o primeiro banco a efetuar pagamentos à vista e, atualmente, facilitou o processo de adesão, reduzindo os documentos necessários e realizando o pagamento em poucos dias”. Os bancos Santander e Safra foram procurados, mas não comentaram as informações do Idec.

Leia mais

Consumidores ainda esperam dos bancos indenização por perdas em planos econômicos