A melhor maneira de promover um automóvel, marca ou tecnologia é na pista. Porsche escreveu seu nome nas pistas, tal como a Ferrari, Jaguar, Mercedes e também a Bentley. Sim, a marca britânica tem grande histórico nas competições de longa duração, mas agora quer subir a ladeira e deixar seu nome gravado bem lá no alto da montanha. 

A Bentley acaba de revelar uma versão modificada do Continental GT3 que irá participar da edição 2021 da corrida de montanha de Pikes Peak, no Colorado (EUA). A tradicional e insana prova consagrou pilotos e marcas. A Audi eternizou o Quattro S2, assim como o genial Walther Rohrl. 

A Suzuki viu seu pacato Escudo (Vitara) se converter num dos carros mais ousados da história pelas mãos do japonês Nobuhiro Tajima. Da mesma forma que Sebastien Loeb se tornou o homem mais rápido com um carro a combustão, no caso, uma versão infernal do Peugeot 208.

Pikes Peak se transformou em palco para provar a capacidade dos motores elétricos, que conseguem vencer os 20 quilômetros e a altitude de 4.300 metros com mais facilidade que os carros a combustão, uma vez que não sofrem com o ar rarefeito. 

Mas a Bentley quer mostrar que seu carro, movido a um novo tipo de gasolina, que promete reduzir em 85% as emissões de gases de efeito estufa, pode oferecer performance sem comprometer o meio ambiente. Segundo a marca, trata-se de um biocombustível que deverá ser empregado nos atuais modelos da marca, mas também poderá ser utilizado em antigos Bentleys.

E a preocupação da empresa tem seus motivos. A marca vende carros com motores imensos e carrocerias gigantescas. É uma combinação que está longe de ser referência em eficiência energética. Afinal, não se pode esperar que um gigantesco W12 biturbo 6.0 consuma como o motorzinho três cilindros.

O plano faz parte do processo de eletrificação total até 2030. Mas ela sabe que até lá terá que ir de forma gradual e que também deverá oferecer soluções para sua gama circulante, que apesar de pequena é conservada como peças de joalheria.

“Estamos muito satisfeitos por retornar a Pikes Peak pela terceira vez - agora movido a combustível renovável, como o projeto de lançamento de outro novo elemento de nosso programa Beyond100. Nosso trem de força e engenheiros já estão pesquisando biocombustíveis e e-combustíveis para uso por nossos clientes juntamente com nosso programa de eletrificação - com etapas intermediárias de adoção de combustíveis renováveis na fábrica em Crewe e para a frota de nossa empresa. Nesse ínterim, o Bentley Continental GT3 Pikes Peak mostrará que os combustíveis renováveis podem permitir que o automobilismo continue de maneira responsável e, com sorte, conquistará o terceiro e último recorde em nossa tríplice coroa”, comenta o membro do Conselho de Engenharia da Bentley, Matthias Rabe.

O carro é equipado com a unidade V8 4.0 utilizada na versão para provas GT3. A marca não revela a potência do motor e nem o peso do carro. Como é de praxe nos carros que disputam o Pikes Peak, o Continental recebeu imensas asas dianteiras e traseiras. São fundamentais para manter o carro grudado no asfalto, uma vez que o ar menos denso e a força dos ventos podem soprar o carro montanha abaixo.

O carro foi encaminhado para os Estados Unidos, para testes finais. A prova de fogo será em 27 de junho, quando o Continental subirá a montanha para tentar o terceiro título da marca