Reeleito em primeiro turno nas Eleições 2020, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), já planeja mudanças que serão implementadas na capital mineira durante o próximo mandato. Segundo o chefe do Executivo, uma delas é a criação de uma supersecretaria para comandar o transporte público e grandes obras.

Durante entrevista para o programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira (30), Kalil explicou as dificuldades que teve com o transporte em BH. Segundo o prefeito, ele só não cumpriu à risca a promessa de abrir a “caixa preta” da BHTrans pois temia uma paralisação das empresas. 

Para tentar solucionar os problemas, como o aumento das passagens de ônibus, ele pretende encarregar o vice-prefeito Fuad Noman (PSD) da condução da supersecretaria de transportes.

“Agora nós captamos recursos e vamos fazer grandes obras. Ela vai ser chefiada pelo vice-prefeito de Belo Horizonte. Estamos começando um desenho para o vice-prefeito comandar esse tipo de coisa”, revelou Kalil. 

O mandatário disse, ainda, que durante a primeira gestão, apenas um aumento no valor das passagens foi efetivado em BH - 11% em 2018, quando o subiu de R$ 4,05 para R$ 4,50. Em outras duas oportunidades, vetou o acréscimo. Kalil também relembrou que, quando as empresas optaram por retirar os cobradores dos coletivos, ele reverteu o acordo e manteve o preço dos bilhetes. 

Questionado sobre as multas aplicadas às empresas que continuam sem cobradores nos ônibus, ele afirmou que as multas vêm sendo aplicadas e que são acumulativas. "Se alguém trouxer para mim a solução de transporte público, lixo, resíduo sólido e morador de rua, pode trazer que eu aceito na hora. Agora, tem que enfrentar. Não pode é correr", concluiu.
 

 

Leia mais:

Kalil não descarta governo de Minas e diz que 'se for carregado' disputa até presidência

Para Alexandre Kalil, PT e PSDB ‘estão mortos em BH’