Não há como negar que o SUV se tornou a vedete da indústria do automóvel. Mas não custa lembrar que num passado recente o monovolume teve seu auge, a perua teve seu momento. No entanto, quem nunca sai de moda é o sedã. Ele está na ativa há quase 100 anos, quando os engenheiros descobriram que ter um porta-malas destacado faria do automóvel bem mais funcional e prático.

E quando se adiciona doses cavalares de torque, o sedã se torna o carro perfeito. E o melhor exemplo é o BMW M5 Competition, versão aprimorada do clássico sedã de alto desempenho da marca de Munique. Furioso, o sedã desembarca com nada menos que 625 cv sob o capô.

Mas o custo da chancela Competition grudada na lataria é alto. O carro tem preço sugerido de R$ 1.006.950. Por outro lado, a BMW tenta justificar o valor nababesco com um conjunto mecânico de números superlativos.

V8 

O sedã é equipado com o tradicional V8 biturbo 4.4, que foi ajustado para entregar 625 cv e torque de 76 kgfm. Numa tradução simples, significa que o sedã de quase duas toneladas acelera de 0 a 100 em 3,3 segundos.

A transmissão é automática de oito marchas e o sistema de tração é integral M xDrive, que permite “travar” o torque apenas nas rodas traseiras, como deve ser um BMW purista. O resto é secundário para quem busca um M5, mas ele conta com assistentes de condução, ar-condicionado de quatro zonas, fechamento automático das portas, quadro de instrumentos digital, sistema de áudio Bowers & Wilkins de 1400 watts, multimídia com conexão para smartphones e assistente pessoal Alexa, com comandos de voz.