Subiu para 11 o número de mortes no desabamento de dois edifícios na comunidade da  Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. Os bombeiros encontraram o corpo de uma mulher ainda não identificada sob os escombros, no final da noite deste domingo (14). De acordo com os bombeiros, a vítima estava em um local de difícil acesso e os militares levaram cerca de três horas para retirar o corpo dos destroços.

Agora as equipes de resgate trabalham com a possibilidade de que 14 pessoas ainda estejam desaparecidas, de acordo com informações registradas na área do desabamento. Até o momento, 18 pessoas foram resgatadas, sendo dez com vida, mas duas morreram no hospital.

A operação de resgate segue nesta segunda-feira (15) com a participação de mais de 100 militares, cães farejadores, drone, helicópteros, ambulâncias e veículos de recolhimento de corpos. O trabalho, que entrou nesta segunda-feira no quarto dia, começou logo após o desabamento e segue ininterruptamente desde o início da manhã de sexta-feira (12).

No domingo, o pastor Cláudio Rodrigues, de 40 anos, foi a primeira vítima do desabamento dos prédios na Muzema a ser enterrada. O enterro foi à tarde, no Cemitério do Pechincha, na região de Jacarepaguá, também na zona oeste.

Rodrigues morava com a mulher e a filha, e os três estavam no apartamento na hora do acidente. A esposa, Adilma Rodrigues, de 35 anos, segue internada em estado grave no Hospital Lourenço Jorge. A filha,  Clara Rodrigues, de 10 anos, também ficou ferida, mas já teve alta e passa bem.

Leia mais:
Mineiro que sobreviveu a desabamento relata o resgate: 'Escavei com as mãos'
Moradora chegou a gritar para alertar vizinhos sobre queda dos prédios
Prefeito do Rio diz que desabamento foi 'um drama tremendo'
Vítima de desabamento de prédio no Rio passa por cirurgia