Rio de Janeiro – Com exatos 100 anos, completados neste sábado (27), o bondinho do Pão de Açúcar, na capital fluminense, impressiona turistas do Brasil e do mundo. E o preço da entrada também. Para subir os 396 metros dos dois morros, o visitante precisa desembolsar R$ 53, com exceções das crianças entre seis e 12 anos, idosos e pessoas com deficiência, que pagam meia entrada (R$ 26). Crianças até cinco anos não pagam.

Moradora do bairro de Campo Grande, zona oeste, a aposentada Maria Garcia dos Santos, 69 anos, tentou subir pela primeira vez o famoso monumento com o neto, mas ao chegar à bilheteria deu meia-volta. “O dinheiro não dá”, comentou com bom humor. Segundo Maria, o dinheiro que levava com ela não dava para pagar nem uma entrada.

A baiana Amanda Braz mora atualmente no Rio, em Nova Iguaçu. Levou ao Pão de Açúcar os três sobrinhos e uma amiga, que vieram ao Rio fazer turismo. Ela elogiou a promoção Carioquinha, que a prefeitura oferece todo ano, durante um mês, geralmente em junho, com descontos aos moradores do Rio e Grande Rio. Entretanto, segundo ela, o período é muito curto para a quantidade de visitantes. “Esse período que eles dão desconto para moradores é muito curto. Fica extremamente lotado: não vale a pena, não dá para aproveitar”.

Desavisado, o casal Adão e Rosemary Cruz, que mora em Jacarepaguá, zona oeste, levou o comprovante de residência imaginando que conseguiria pagar meia-entrada. “Esse benefício deveria permanecer para que o carioca pudesse ter acesso a esse passeio também, com um salário mínimo não há condições”, disse Rosemary.

O motorista Rogério da Silva Alves, 43 anos, disse que desde pequeno deseja conhecer o Pão de Açúcar. Com o salário que ganha, é inviável fazer um programa como esse com a família. “Como vou sair de Nova Iguaçu [Baixada Fluminense] com minha esposa e minha filha e gastar - só para ingressar no bondinho - R$ 160, fora comida e passagem? Não tenho condições de gastar R$ 300 em um único dia”.

Já na opinião do mineiro Carlos Vieira o preço compensa. “Maravilhoso e cada ano parece melhor. Todas as vezes que a gente vem ao Rio a gente faz esse passeio. É muito bonita a cidade vista de cima. Vale muito a pena”, declarou.

Para o turista colombiano Julian Atehortuga, o preço também é elevado para estrangeiros de alguns países, como o da região sul-americana. Ele comentou que conhece pessoas que vieram a trabalho ao Rio e não subiram o Pão de Açúcar devido ao preço elevado.

“Quem é turista acaba pagando, porque vem exatamente para esse tipo de passeio e não sabe quando terá uma nova oportunidade. Se o preço fosse cerca de UR$ 15 (R$30) seria mais acessível aumentaria o fluxo de visitantes”, propôs o turista.