Na noite deste sábado (18), ocorre no balneário espanhol, próximo de Málaga, a cerimônia de entrega da segunda edição do Prêmio Platino, dedicado ao cinema ibero-americano. O Brasil entra com quatro candidatos. Leandra Leal disputa o troféu de melhor atriz por seu trabalho em O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra. Duas animações nacionais estão no páreo, O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, e Até que a Sbornia nos Separe, de Otto Guerra e Ennio Torresan. Por fim, o documentário O Sal da Terra, que tem como personagem o fotógrafo Sebastião Salgado, dirigido por Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado, é um dos indicados na categoria. A cerimônia será transmitida pela TNT, TV Espanhola e pelo Canal Brasil (150, na Net), a partir de 23h30.

De qualquer forma, o Brasil ainda tem pouca participação no Prêmio Platino, criado pela Egeda (Entidade de Gestão de Direitos Autorais) e Fipca (Federação Ibérica de Produtores de Cinema). Ano passado, a homenagem foi para a atriz Sônia Braga. Em 2015, um espanhol muito famoso recebe as honras da casa - Antonio Banderas, mundialmente conhecido por seus trabalhos com Pedro Almodóvar e também nos Estados Unidos (como A Marca do Zorro).

Da América Latina, a Argentina surge como grande força, em especial pela repercussão internacional de Relatos Selvagens, filme de episódios que recebeu 10 indicações no Platino. Cuba e Venezuela ocupam, empatadas, o terceiro lugar. Cuba compete com Conducta, um filme sobre crianças apontado em oito categorias. A ilha também possui dois candidatos de peso, a animação Meñique e o filme de estreante Vestido de Noiva - que, aliás, nada tem a ver com a peça do nosso Nelson Rodrigues. O Venezuelano Pelo Malo concorre em oito categorias e ainda disputa estatuetas de melhor filme estreante (La Distancia Mas Larga) e trilha sonora do maestro Gustavo Dudamel em Libertador, sobre Simon Bolívar.

Os finalistas e vencedores do Platino são escolhidos por um colegiado de cinquenta representantes formado por cineastas, diretores entidades cinematográficas, presidentes de academias de cinema, diretores de festivais, críticos de cinema, técnicos e produtores.

O Brasil comparece com dois representantes: Ilda Santiago, diretora do Festival do Rio, e Luiz Zanin Oricchio, crítico do Estado.