Ajuda argentina à Bahia não era necessária no momento, diz presidente

Agência Brasil
30/12/2021 às 16:30.
Atualizado em 04/01/2022 às 00:16
 (Divulgação/FAB)

(Divulgação/FAB)

Por meio das redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro comentou nesta quinta-feira (30) a negativa do envio de ajuda humanitária pelo governo argentino aos municípios da Bahia atingidos por temporais.

"Em contato com o Itamaraty, a Chancelaria Argentina ofereceu assistência de 10 homens (capacetes brancos) para o trabalho de almoxarife e seleção de doações, montagem de barracas e assistência psicossocial à população afetada pelas enchentes na Bahia", detalhou.

Segundo Bolsonaro, a oferta foi feita quando as Forças Armadas brasileiras já prestavam esse tipo de assistência. "Por essa razão, a avaliação foi que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento, mas poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das condições".

"O governo brasileiro está aberto a ajuda e doações internacionais", postou o presidente, citando que, nessa quarta (29), o Itamaraty recebeu doações da Agência de Cooperação do Japão, incluindo colchonetes, cobertores, lonas plásticas, galões e purificadores de água.

Também por meio das redes sociais, o governador da Bahia, Rio Costa, disse que o Estado precisa de todo tipo de ajuda e trabalha incansavelmente para reconstruir cidades e casas destruídas. "A soma de esforços acelera esse processo, portanto, é muito bem-vinda qualquer ajuda".

"Me dirijo a todos os países do mundo: a Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento", finalizou.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por