Um ato público, a partir das 9 horas, em frente ao Supremo Tribunal Federal, marca nesta terça-feira (28) em Brasília o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. A data foi criada para homenagear os auditores fiscais do trabalho assasinados em 2004 durante fiscalização na zona rural de Unaí, em Minas Gerais, a 170 quilômetros de Brasília.
 
O ato público terá a presença de representantes  da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo e foi organizado pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho.
 
No início da tarde, será a vez de o Ministério Público Federal promover um ato contra a escravidão contemporânea. A instituição vai apresentar dados de sua atuação contra o crime. Será lançada também uma campanha sobre o tema, a ser veiculada em todo o país . As peças publicitárias foram criadas para que o cidadão que se encontra em condição análoga à de escravo identifique a prática do crime pelo empregador.
 
Para marcar a data, estão previstas ainda manifestações em seis estados - Tocantins, Goiás, Ceará, Maranhão, São Paulo e Espírito Santo.