BRASÍLIA – Os ministros da Defesa da Suécia, Karin Enström, e do Brasil, Celso Amorim, conversaram sexta-feira  (20) por telefone. Durante o telefonema, Amorim informou o interesse brasileiro em receber antecipadamente os caças Gripen C e D até que sejam entregues as primeiras unidades do modelo comprado pelo Brasil, o Gripen NG (nova geração), a partir de 2018. Os modelos C e D são versões anteriores à adquirida pelo país.
 
De acordo com o Ministério da Defesa, a ministra sueca informou que no início do próximo ano vai apresentar ao governo brasileiro “propostas concretas sobre a cessão antecipada de caças” e a capacitação da Força Aérea Brasileira (FAB) para operar a nova aeronave. A produção e montagem das aeronaves serão feitas em parceria com a brasileira Embraer.
 
Segundo a pasta, o ministro Celso Amorim foi convidado por Karin Enström para visitar a Suécia no primeiro semestre de 2014 para uma avaliação inicial das negociações bilaterais. “O Ministério da Defesa instituirá um grupo de trabalho para realizar o acompanhamento do andamento nas negociações”, informa, em nota. O grupo também vai contar com a participação de representantes dos ministérios do Planejamento e da Fazenda.
 
Representantes da Saab, fabricante do caça escolhido, tiveram hoje a primeira reunião no Ministério da Defesa após o Brasil ter anunciado a opção pelos caças Gripen. No encontro, foi apresentado um cronograma da parceria, incluindo a elaboração dos contratos, que devem ser assinados até o final do ano que vem.
 
O Brasil optou pela compra de 36 caças suecos Gripen NG, orçados em US$ 4,5 bilhões até 2023. Além dos suecos, estavam na disputa a norte-americana Boeing, com o modelo F/A-18E/F Super Hornet; e a francesa Dassault, com o Rafale F3. O modelo sueco substituirá os Mirage 2000 da FAB, que serão aposentados este mês.