A campanha Sesi Cidadania contra a Fome, lançada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro e Serviço Social da Indústria (Firjan Sesi), quer ajudar a reduzir os impactos negativos da pandemia do novo coronavírus nas pessoas que estão na linha de pobreza extrema por meio de doações de cestas básicas em todo o território fluminense.

O presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, disse nesta sexta-feira (16) à Agência Brasil que a entidade não vai parar com o trabalho que realiza rotineiramente de ajudar as empresas associadas no sentido de criar emprego e renda, por meio da agenda de educação e qualificação profissional. “Nós procuramos um trabalho de promoção humana de uma forma estruturada, de longo prazo. Não vamos parar com isso”, garantiu.
 

Pobreza

 15,1% da população do estado, em situação de extrema pobreza

Em função, porém, da pandemia do novo coronavírus, do agravamento da situação econômica e da constatação pela Firjan, com base em dados do Ministério da Cidadania, da existência de 2,6 milhões de fluminenses, correspondentes a 15,1% da população do estado, em situação de extrema pobreza, o presidente da Firjan e outros empresários decidiram se unir a entidades parceiras para amenizar esse quadro social. “São cariocas e fluminenses vivendo abaixo do nível de pobreza, com menos de R$ 89 por mês. Não é possível. A urgência é enorme. As pessoas estão passando fome”, afirmou.

Em vista dos imensos bolsões de pobreza espalhados pelas calçadas, em todo o estado do Rio de Janeiro, a Firjan lançou a campanha Sesi Cidadania Contra a Fome. Gouvêa Vieira disse que a Firjan está usando toda a sua capacidade arrecadatória de mantimentos, mas principalmente de recursos, para pedir contribuições às pessoas e às empresas de todos os portes. “Todos nós podemos dar alguma coisa, mesmo com dificuldade, suscitando essa solidariedade dos cariocas e fluminenses para os cariocas e fluminenses”. Vieira reforçou que como os governos não conseguem surprir essa carência, a Firjan resolveu dar uma “sacudida”. “No fundo, nós estamos sacudindo os corações para que dêem mais recursos para que nós possamos atender o máximo possível desses 2,6 milhões de pessoas”.

Parceiros

Os parceiros da Firjan e do Sesi na iniciativa de mobilização da sociedade são Viva Rio, o Movimento União Rio e Caminhão da Misericórdia. Para contribuir com a campanha, basta acessar o site firjan.com.br/sesicidadaniacontrafome e fazer a doação de qualquer quantia via PIX ou transferência bancária. Alimentos não perecíveis também serão recolhidos em 29 endereços do Sesi e do Serviço de Aprendizagem Industrial (Senai) espalhados pelo estado.

A Firjan está fazendo também um movimento interno junto aos funcionários. Para cada cesta doada, a entidade dará recursos equivalentes. “Para dar um exemplo, pedindo às empresas para fazerem essa campanha internamente também”, disse Gouvêa Vieira. Ele considera que os brasileiros, de modo geral, e os fluminenses, são solidários. “Eu acho que quando a gente dá uma mexida, mostrando essa tragédia, crianças que não têm o que comer, moças carregando crianças e catando na lixeira, ninguém pode dar um sorriso com essas coisas e nós precisamos voltar a sorrir, principalmente essas famílias”.

Os recursos financeiros serão convertidos em cestas básicas ou cartões alimentação que serão distribuídos, respectivamente, pelo União Rio e pelo Viva Rio, através do SOS Favela. Já o Caminhão da Misericórdia, da Comunidade Olhar Misericordioso, ajudará na entrega dos alimentos doados.

Maximizar a esperança

O aumento de pessoas em vulnerabilidade alimentar em decorrência da pandemia levou a ONG Ação da Cidadania, fundada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, em 1993, a se unir mais uma vez com o Rock in Rio para mobilizar a sociedade civil em prol da doação de alimentos. A ideia principal é maximizar a esperança entre as pessoas, replicando a iniciativa nos canais de comunicação do festival e também do grupo Dreamers, no qual o Rock in Rio está inserido.

As duas organizações, que são parceiras desde 2001, acreditam que o movimento pode repercutir pelo Rio de Janeiro e atingir a população, de modo a revitalizar o que o carioca tem de melhor, que é o espírito solidário. Para o Rock in Rio, o importante neste momento é ajudar a virar este jogo, partindo da premissa que um mundo melhor é um mundo sem fome.

Para o presidente do Conselho da Ação da Cidadania e filho de Betinho, Daniel Souza, a luta contra a Covid-19, que tem ceifado vidas em todo o mundo, se dá pela solidariedade das pessoas. “Graças ao imenso apoio do povo brasileiro, de empresas privadas e de diversas instituições, temos conseguido dar continuidade ao combate à miséria em todo o país. Não existe vacina contra a fome. O melhor remédio é a solidariedade”.

O presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, considera a situação da fome no país crítica e que para minimizá-la são necessárias atitudes. “Não podemos mais aguardar. A população tem que ter este olhar humano e que traz esperança. O cenário é emergencial”. Completou que “estamos aqui para bater tambor e ajudar a movimentar a todos com esta visão para a esperança. Todos precisamos desse sopro de positividade”, afirmou.

O primeiro investimento será feito pelo festival em conjunto com o grupo Dreamers, um conglomerado de comunicação do qual o festival faz parte. Juntos somarão 50 toneladas de alimentos doadas. A expectativa é mobilizar outras empresas, com o objetivo de multiplicar esse número para atender mais famílias, numa grande corrente do bem. Para se engajar nessa causa, basta acessar o link rockinrio.com/doe. A campanha não tem valor estipulado.

Shoppings

A empresa Multiplan, considerada uma das maiores companhias do setor de shopping centers do país, com 19 shoppings atualmente em operação, anunciou a doação de 10 mil cestas básicas para a campanha #tamojuntonaluta, do Transforma Brasil. “Esperamos que esta ação inspire mais pessoas a doar", disse Vander Giordano, vice-presidente institucional da Multiplan.

A companhia está lançando também a campanha "Alimente o Bem", que vai arrecadar alimentos em todos os shoppings sob sua administração. A campanha faz parte do Multiplique o Bem, base de iniciativas sociais do conglomerado Multiplan. As doações arrecadadas serão entregues a diversas instituições localizadas em regiões próximas aos empreendimentos.

O Transforma Brasil é um movimento de solidariedade que visa estimular a cultura do engajamento cívico no Brasil. Conta com mais de 3 mil projetos e iniciativas sociais espalhadas pelo país que atuam nas comunidades locais e já beneficiam mais de 1 milhão de pessoas.

Leia mais:
Covid-19: em uma semana, mortes aumentam 8% e casos 6%
Quase mil cidades temem falta de remédios do kit intubação, diz pesquisa