Em protesto contra desaparecimento de pedreiro, moradores da Rocinha fecham autoestrada

Vladimir Platonow/ ABr
01/08/2013 às 19:36.
Atualizado em 20/11/2021 às 20:35

RIO DE JANEIRO – Moradores da Rocinha, que protestam nesta quinta-feira (1º) desde as 17h30, fecharam há pouco a Autoestrada Lagoa-Barra, que passa pela comunidade e liga a zona sul à Barra da Tijuca. Os manifestantes protestam contra o desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza. Por precaução, a polícia bloqueou as demais pistas da via, que está totalmente interditada.

Parentes do pedreiro participaram do protesto. A esposa do pedreiro, Elizabete Gomes da Silva, disse ter convicção de que seu marido foi morto pelos policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Morador da Rocinha, Amarildo desapareceu no dia 14 de julho, depois de ser levado por policiais militares para a (UPP) da comunidade, no bairro de São Conrado, na zona sul carioca.

Os manifestantes carregam bandeiras, faixas e cartazes com frases contra o governador do Sérgio Cabral e pedindo o esclarecimento do caso. A polícia monitora a manifestação, sem intervir diretamente.

A investigação do caso foi transferida da 15ª Delegacia Policial (DP) para a Divisão de Homicídios (DH). O Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense da Academia de Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que o sangue encontrado na viatura da UPP da Rocinha, não é de Amarildo

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por