Após passar por uma falha no sistema de apuração, a Mega-Sena voltou a gerar desconfiança na população. Apostadores que eram fieis afirmaram ter desistido do jogo por perderem a confiança na transparência dos resultados dos concursos.

O primeiro sorteio do ano, com prêmio de R$ 1,5 milhão, foi feito no último sábado (2) mas o resultado do concurso, que no final não teve ganhador das seis dezenas, só foi revelado na manhã desta segunda (4), quase 40 horas depois. No sábado, a Caixa informava apenas que o problema era "de ordem tecnológica".

Não é a primeira vez que a Mega-Sena é alvo de polêmicas. Em novembro, boatos de um esquema para colocar peso em determinadas bolinhas e pré-definir os resultados ganharam a internet.

Os boatos ganharam força depois que o prêmio de R$ 205 milhões foi levado por um único apostador de Brasília (DF) no dia 25 de novembro. Nesse mesmo concurso, houve uma falha no site da Caixa, que informava inicialmente que o prêmio tinha acumulado.

Segundo o gerente de tecnologia da faculdade Impacta, Nilson Ramalho, sistemas relevantes, como o de apostas da Mega-Sena, não deveriam ter falhas. "Isso coloca em cheque a credibilidade do jogo e mostra, talvez, a pouca importância que a Caixa dá a ele.

É preciso investimento em infraestrutura." Ramalho afirma que faltou transparência à Caixa. "Nesse tempo em que disseram arrumar o sistema, ninguém sabe o que realmente aconteceu. Deveriam ter informado melhor, já que estão lidando com o dinheiro dos outros."

OUTRO LADO

Procurada pela reportagem, a Caixa não se manifestou e não esclareceu o tipo de falha tecnológica ocorrida no sorteio de sábado. A reportagem pediu detalhes sobre o problema e questionou se essa foi a primeira vez em que o sistema de apuração apresentou falhas, além das providências tomadas para que não voltem a ocorrer.

Por telefone, a assessoria de imprensa da Caixa afirmou apenas que o pedido da reportagem seria repassado para o setor de tecnologia.

LOTÉRICAS

Apostadores têm confiado menos na Mega-Sena e donos de lotéricas já percebem a queda nos jogos.

A desconfiança pode ser vista na Mega da Virada, quando a Caixa esperava chegar a R$ 280 milhões em apostas, mas arrecadou apenas R$ 246 milhões.

O gerente de lotérica Paulo Eduardo Silva, 48 anos, sentiu uma queda de 40% desde novembro, quando a Caixa divulgou que o prêmio de R$ 205 milhões havia acumulado e no dia seguinte anunciou o único ganhador, em Brasília. "A Mega-Sena caiu em descrédito. Isso afeta o jogador esporádico", diz.

O técnico contábil Ronaldo Macedo, de 66 anos, joga sempre na Mega-Sena, mas não confia. "Jogo porque sou teimoso, nunca conheci alguém que acertou".