A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou nesta sexta-feira (6) que assinou acordo de cooperação com o governo cearense e a Universidade C (Uece) para o desenvolvimento e produção da vacina HH-120-Defenser contra a Covid-19.

O projeto começou a ser desenvolvido no Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular (LBBM) da Uece em abril de 2020. A cooperação "visa a realizar ajustes solicitados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na fase de testes em animais, revendo e ampliando resultados", diz a Fiocruz.

vacina

O acordo prevê o desenvolvimento e a produção da vacina HH-120-Defenser contra a Covid-19

Com a conclusão dessa etapa, os pesquisadores poderão enviar a documentação à Anvisa e solicitar autorização para testes em humanos.

O acordo foi assinado nesta quinta-feira (5) pela presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, e pelo governador do Ceará, Camilo Santana. Uma comitiva do governo do Ceará e da Uece fez uma visita oficial à Fiocruz e conheceu as instalações do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), onde é produzida a vacina a Oxford/AstraZeneca contra Covid-19.

Em matéria publicada no site da Universidade Estadual do Ceará em 14 de maio, a coordenadora do LBBM/Uece, professora Izabel Florindo Guedes, explica que o estudo teve como ponto de partida o conhecimento já existente sobre o coronavírus aviário atenuado, que é semelhante ao SARS-CoV-2 mas não tem potencial para infectar humanos.

“É um vírus não infectante para humanos, mas induz a uma resposta de proteção. Faz com que as pessoas desenvolvam anticorpos, neutralizando o SARS-CoV-2, que é um vírus sobre o qual ainda estamos aprendendo”, diz a imunologista no texto divulgado pela universidade.

Leia mais:
Levantamento da CNM mostra situação da vacinação nos municípios
Dose única: após 35 dias, Minas recebe mais 8,6 mil vacinas da Janssen