SÃO PAULO - O homem que empurrou uma passageira que perdeu o braço ao cair nos trilhos do metrô de São Paulo há dois dias foi identificado nesta quinta-feira (27).
 
De acordo com delegado Osvaldo Nico Gonçalves, o próprio irmão o reconheceu na TV, que exibiu imagens das câmeras do metrô. 
 
Ele foi hoje ao 56º Departamento de Polícia (Vila Alpina) e contou que o irmão, de 33 anos, sofre de esquizofrenia e tem surtos psicóticos com frequência. 
 
Segundo Nico, a polícia tem registro de nove casos de agressão - quatro deles no metrô - feitas pelo suspeito. Ele está sendo procurado por policiais. 
 
O irmão disse à polícia que não sabe o paradeiro do suspeito e que o viu pela última vez anteontem, antes do caso vir à público. Disse que ele estava transtornado, pediu dinheiro e contou apenas que "havia cometido uma besteira". 
 
O caso 
 
Testemunhas que estavam na estação Sé, a mais movimentada do metrô, contaram à polícia que o homem empurrou Maria da Conceição de Oliveira, de 27 anos, e saiu correndo da plataforma. 
 
Ela, que fez aniversário no mesmo dia, foi internada na Santa Casa. Seu estado de saúde é estável. 
 
O Metrô afirmou que o incidente ocorreu às 7h16 na plataforma sentido Corinthians-Itaquera da linha 3-vermelha. Ao notar que a mulher havia caído, o operador do trem usou o freio e acionou o contro de controle, que desligou a energia do sistema. 
 
A companhia forneceu imagens das câmeras da estação e do trem para a polícia. Elas mostram a ação e a fuga do homem, que usava camisa branca. 
 
No boletim de ocorrência, as testemunhas disseram que o homem "aparentando sofrer de problemas mentais, surgiu na plataforma e atentamente olhava os usuários que estavam posicionados no direcionador de embarque [grade metálica]" à espera do trem. 
 
Quando o veículo surgiu, ele repentinamente se aproximou de Maria, "que estava distraída", e a empurrou sobre os trilhos. 
 
Em seguida, segundo essas pessoas, o homem saiu "correndo e sorrindo". Elas disseram que ele "aparentemente não conhecia a vítima".