A BMW terá de pagar à família do do cantor João Paulo, morto em um acidente de carro em setembro de 1997, R$ 200 mil de indenização por danos morais. Essa foi a decisão da Justiça, que manteve o resultado do julgamento anterior, em resposta a um embargo infringente apresentado pelos advogados da família do cantor diante de decisão no final do ano de 2014. O sertanejo, que fazia dupla com Daniel, morreu em um acidente automobilístico em São Caetano do Sul (SP) quando seguia para sua casa, em Brotas, no interior.

Segundo o Tribunal de Justiça da cidade, a família de João Paulo chegou a pedir indenização de R$ 300 mil e pensão à BMW com correções que poderiam chegar a R$ 400 milhões, mas, diante de recursos, o Tribunal de Justiça reduziu a indenização.

Conforme o laudo pericial, o veículo da montadora alemã em que o cantor estava capotou quatro vezes e pegou fogo depois que um dos pneus do carro estourou no Km 40 da Rodovia dos Bandeirantes, na Grande São Paulo.

Justiça mantém em R$ 200 mil indenização à família de João Paulo
João Paulo morreu em um acidente e carro em 1997 quando voltava para casa, em Brotas

Em entrevista ao G1, Edilberto Acácio da Silva, advogado da viúva e da filha de João Paulo, a 35ª Câmara de Direito Privado concluiu que tanto o ex-parceiro de Daniel, que viajava a 133km/h e sem cinto de segurança, quanto a BMW tiveram responsabilidade no acidente.

Segundo o defensor, a previsão é de que a indenização total fique em torno de R$ 70 milhões. O cálculo soma danos materiais e morais e só será confirmado no fim do processo. O valor estima quanto João Paulo poderia ter recebido desde 1997 se ainda estivesse vivo e em quanto sua filha e a viúva do cantor deveriam receber por mês desde o acidente.