PORTO ALEGRE- A carga de leite cru que estava misturado com álcool etílico em uma fábrica da empresa BRF no Rio Grande do Sul não foi usada como matéria-prima em produtos da companhia. A conclusão é do Ministério da Agricultura, responsável pela inspeção que detectou o problema.

Na semana passada, foi divulgado que uma fiscalização do ministério em uma unidade da empresa em Teutônia (a 107 km de Porto Alegre), no início de agosto, havia encontrado um volume de 33,5 mil litros da matéria-prima com a irregularidade. O Ministério Público chegou a divulgar que essa carga tinha sido processada e encaminhada para a comercialização. A empresa negou.

Segundo a BRF, o leite cru com álcool foi descartado e não foi distribuído ao mercado de consumo. A empresa afirmou ainda que o fornecedor da matéria-prima sob suspeita foi imediatamente afastado do quadro de colaboradores.
O Ministério da Agricultura segue analisando o caso. A origem da irregularidade continua sob investigação