SÃO PAULO - Passado um dia do naufrágio de uma pequena embarcação no rio Amazonas, em Macapá (AP), as autoridades ainda divergem sobre o número de mortos na tragédia, ocorrida durante o Círio Fluvial, espécie de procissão de barcos em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré.

Os bombeiros, que chegaram a afirmar que haviam encontrado o corpo de 13 passageiros, agora falam em dez mortes. Já segundo a Marinha, responsável pela Capitania dos Portos, nove morreram no naufrágio.
Oito pessoas continuam desaparecidas, concordam os órgãos.

O Corpo de Bombeiros explica que a confusão no número de mortos se deu porque, no mesmo dia, duas pessoas se afogaram no rio Amazonas em eventos sem relação com o naufrágio.

Assim, os corpos das vítimas -um homem de 39 anos e um adolescente de aproximadamente 15 anos- entraram na contagem dos bombeiros, que julgaram que os dois estavam na embarcação.

Naufrágio

O barco, com capacidade para 43 pessoas, naufragou na manhã de ontem, quando participava do Círio Fluvial, festa religiosa da cidade. Ao menos 50 outras embarcações participavam da procissão fluvial e ajudaram no resgate dos passageiros.
A Marinha abriu um inquérito com prazo de conclusão de 90 dias para investigar o naufrágio.