O movimento batizado "Pela Reforma de Direitos" que provocou polêmica em centenas de internautas na segunda-feira (30) era na verdade uma campanha de conscientização. A página foi criada em Curitiba, no Paraná, e conta com mais de 3 mil curtidas. Na próxima quinta-feira (3) é celebrado o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

A fanpage indicava um abaixo-assinado virtual para quem concordava com a ideia de extinguir direitos das pessoas com deficidência previstos na Constituição Federal. "O Movimento pela Reforma de Direito quer parar de ser prejudicado por leis que privilegiam uma minoria e esquecem a maioria", dizia o post.

Nesta terça-feira (1º) os idealizadores da página esclareceram o que motivou a criação da página. "Nós sabemos que vocês ficaram chocados com as revindicações feitas pelo movimento. E esse choque, é o nosso alívio. O desrespeito que aconteceu na internet durou só um dia, mas as pessoas com deficiência enfrentam essa afronta todos os dias".

"Esperamos que cada um que se revoltou, na internet, seja uma VOZ REAL na luta pelos nossos direitos. Que não se calem ao ver uma pessoa com deficiência sendo desrespeitada ou discriminada. Denunciem! Não se revoltem somente nas redes sociais", pede o post seguindo do vídeo que você pode assistir a seguir:

Não é privilégio. É direito.

Nós sabemos que vocês ficaram chocados com as revindicações feitas pelo movimento. E esse choque, é o nosso alívio. O desrespeito que aconteceu na internet durou só um dia, mas as pessoas com deficiência enfrentam essa afronta todos os dias. Esperamos que cada um que se revoltou, na internet, seja uma VOZ REAL na luta pelos nossos direitos. Que não se calem ao ver uma pessoa com deficiência sendo desrespeitada ou discriminada. Denunciem! Não se revoltem somente nas redes sociais.>> Aguarde para a versão acessível (legendada e em libras) do vídeo, disponível na página nesta quarta-feira, 02/12.

Posted by Movimento Pela Reforma de Direitos on Terça, 1 de dezembro de 2015