SÃO PAULO - Um jovem de 25 anos morreu após fazer seu primeiro salto de paraquedas em São Miguel do Oeste (730 km de Florianópolis) na tarde desábado (27). Após saltar de um avião que decolou do Aeroporto Municipal Hélio Wasun, Diego Gregele Deganis fez uma "manobra inesperada", perdeu o controle do paraquedas e morreu no impacto com o chão, informou em nota o Clube de Paraquedismo Aerubu, da qual o jovem era aluno.

O Corpo de Bombeiros e uma equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) tentaram reanimar o jovem, mas ele não resistiu e morreu no hospital.

O clube afirmou que Deganis realizou um curso de paraquedismo no dia 12 de julho e o salto realizado na tarde de ontem, por volta das 14h30, foi feito após reciclagem das instruções.
O aluno foi ensinado com o método ASL (Accelerated Static Line) que é um programa tradicional na formação de paraquedistas. Neste tipo de curso, o aluno é orientado e treinado para saltar sozinho, mas com acompanhamento do instrutor em todas as fases do salto até a sua saída da aeronave.

Assim que o aluno salta, a abertura do paraquedas é feita de forma automática, por uma fita enganchada no avião. No solo, outro instrutor acompanha e orienta a navegação do aluno até o momento do pouso em local determinado anteriormente.


"O salto ocorreu de forma correta desde sua saída da aeronave, com perfeito funcionamento do equipamento", afirmou o Clube de Paraquedismo Aerubu, que destacou que em 17 anos, esse é o primeiro acidente grave com um aluno.

"O acidente ocorreu próximo ao solo, quando o aluno realizou uma manobra inesperada. A orientação estava sendo repassada via rádio conforme o padrão do curso a nível nacional e internacional".
A Polícia Civil esteve no local e coletou depoimentos dos responsáveis pelo clube e de possíveis testemunhas. Um Inquérito Policial foi aberto para investigar as causas da morte do paraquedista.