O governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou neste domingo (28) que a Polícia Militar identificou cinco suspeitos de participar da chacina ocorrida na madrugada de sábado (27) no bairro Cajazeiras, em Fortaleza. O crime aconteceu após homens armados desembarcarem de veículos e atiraram contra as pessoas que estavam no estabelecimento. Com 14 mortes confirmadas, essa foi a maior chacina registrada no estado.

De acordo com o governador, dos cinco suspeitos que foram identificados, três são considerados mandantes e dois atuaram nas execuções, que ocorreram em uma casa de eventos, conhecida por Forró do Gago, na Rua Madre Tereza de Calcutá. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados para preservar as investigações.

"Nas próximas horas, nós vamos dar uma resposta firme em relação a quem cometeu [a chacina]. É inaceitável o fato corrido, e as pessoas serão punidas com o rigor da lei", disse o governador.

De acordo com boletim médico divulgado pelo Instituto Dr. José Frota,  quatro pessoas que sobreviveram ao tiroteio passaram por cirurgias e continuam internadas. Cinco já receberam alta.

Leia mais:

Após chacina, OAB do Ceará pode pedir intervenção federal no Estado

'Vinham prometendo uma chacina desde novembro', diz filho de vítima de Fortaleza

Assassinatos em Fortaleza aumentaram 96% no ano passado

Grupo invade festa e mata 14 pessoas na periferia de Fortaleza