Entrou em vigor nesta sexta-feira (18) a proibição da venda de oito planos de saúde anunciada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O motivo da suspensão foram reclamações recebidas a respeito do serviço oferecido por esses planos.

plano de saúde

Suspensão foi motivada pelo alto número de reclamações relacionadas a cobertura assistencial

Com base em mais de 20 mil queixas analisadas, a agência determinou a suspensão dos planos vendidos por cinco operadoras. São eles: 

  •  Unimed Vertente Do Caparaó – Cooperativa De Trabalho Médico Ltda; 
  •  Unimed Norte/Nordeste Federação Interfederativa Das Sociedades Cooperativas De Trabalho Médico (Empresarial Pp Especial); 
  •  Unimed Norte/Nordeste Federação Interfederativa Das Sociedades Cooperativas De Trabalho Médico (Individual/Familiar Referência – Nac); 
  •  Unimed Norte/Nordeste – Federação Interfederativa Das Sociedades Cooperativas De Trabalho Médico (Coletivo Por Adesão Enfermaria); 
  •  Unimed-São Gonçalo – Niterói – Soc.Coop.Serv.Med E Hosp Ltda (Coparticipativo 30% Executivo); 
  •  Unimed-São Gonçalo – Niterói – Soc.Coop.Serv.Med E Hosp Ltda (Unimed Premium I E); 
  •  Oralclass Assistencia Médica e Odontologica Ltda (Col. Emp. Salvador Enf); 
  •  Biovida Saúde Ltda (Bv-Sênior/Enf/Sp)

A medida faz parte do Monitoramento da Garantia de Atendimento, que atua na proteção dos consumidores e acompanha o desempenho dos planos. 

Uma das razões para a suspensão da comercialização é quando a ANS constata que as operadoras reiteradamente descumpriram prazos máximos para realização de consultas, exames e cirurgias ou negaram cobertura assistencial.

A agência também divulgou seis planos de quatro operadoras que voltaram a ter suas vendas liberadas devido à melhora no monitoramento. A lista pode ser conferida aqui.

(*) Especial para o Hoje em Dia 

Leia mais:
Brasil aplica mais de 2,56 milhões de doses de vacina em 24 horas
Queiroga, Pazuello e mais 12 serão investigados pela CPI da Pandemia; veja a lista
Governo federal libera R$ 2,8 milhões para combater Covid junto à população de rua