A Câmara de Belo Horizonte aprovou em segundo turno na segunda-feira (23), o Projeto de Lei (PL) 387/17, do Executivo, que altera a cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS) no município.O texto amplia a lista de serviços tributados pelo ISS, adequando-a às disposições da Lei Complementar 157, de 29 de dezembro de 2016, do Governo Federal, e aumenta de 3% para 5% as alíquotas incidentes sobre os serviços de leasing e de administração de cartões de crédito e débito.

Após pressão exercida por empresas de tecnologia da capital, foi removido do texto o aumento de ISS para startups. Também ficaram imunes ao aumento os serviços de aplicação de tatuagens, piercings e congêneres.

Leia mais:
Projeto em BH pretende cassar alvará de postos que venderem combustíveis adulterados
PBH quer vender imóveis para investir em obras do Orçamento Participativo e Habitação