A Câmara Municipal de Belo Horizonte arquivou nesta sexta-feira (2) o pedido de cassação contra o vereador Henrique Braga (PSDB). Redigido pela advogada Priscilla de Oliveira, o documento havia sido protocolado na casa legislativa em junho deste ano. O arquivamento acontece um dia após os vereadores decidirem pela cassação do mandato de Claudio Duarte, suspeito de realizar a “rachadinha” em seu gabinete.

De acordo com a denúncia montada pela advogada, Braga teria obtido vantagem financeira ilícita para realizar, em 2017, o Grande Sermão da Montanha, evento organizado por uma associação presidida por ele na época. Conforme o texto, o evento teria ampliado os custos com folha de pagamento em 1.000% depois que Braga assumiu a presidência da Câmara.

Na época em que a denúncia chegou à casa legislativa, Henrique Braga afirmou que as contas a Câmara Municipal foram aprovadas pelo Ministério Público. “Se alguém quiser rever, vamos rever. É só procurar o Ministério Público e conferir as prestações de contas”, afirmou à reportagem do Hoje em Dia.

Leia mais:
Câmara de BH teve um pedido de cassação por mês
Vantagem financeira ilícita e nepotismo sustentam pedido de cassação de ex-presidente da Câmara