O uso de drones em ações de prevenção e monitoramento da segurança pela Guarda Municipal de Belo Horizonte foi aprovado, em segundo turno, nessa quinta-feira (5) em sessão plenária da Câmara Municipal de Belo Horizonte. 

Segundo a CMBH, o texto do vereador Coronel Piccinini (PSD) não recebeu nenhuma emenda durante a tramitação e estabelece, ainda, que cabe ao Poder Executivo e ao órgão competente, “celebrar convênios com entidades não governamentais, com a iniciativa privada e com outros órgãos governamentais das diversas esferas do poder” com o objetivo de efetivar a “consecução da lei”.

Na justificativa, o parlamentar afirma que a “iniciativa já deu certo em várias cidades do mundo”, pois “do alto os drones registram com amplitude o que está acontecendo, podendo dar, de forma geral, o panorama em terra” de aglomerações e superlotação de pessoas em “áreas que possam apresentar risco”. 

O projeto recebeu oito votos contrários e 29 favoráveis e após passar pela redação final, segue para análise do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD).