O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e sua esposa, Adriana Ancelmo, decidiram abrir mão de diversos bens que estavam ainda em disputa judicial para serem leiloados. O mais conhecido é a casa de praia do casal, em Mangaratiba, avaliada em R$ 8 milhões. Segundo o advogado Rodrigo Roca, que defende Cabral, o objetivo é demonstrar a boa vontade de seu cliente com a Justiça.

“Não é colaboração premiada, nem confissão. É simplesmente uma disposição de boa vontade para com o juízo, já que, em sentenças de corréus e outros processos, o juiz tem se mostrado flexível na hora de aplicar as normas, de estabelecer sanções, de determinar benefícios processuais”, explicou Roca, ao anunciar a decisão do casal, nesta segunda-feira (25).

Segundo Roca, não há nada pactuado ainda com o juiz Marcelo Bretas, da 7ª  VaraFederal Criminal, mas apenas uma expectativa, com base em precedentes do próprio magistrado. "Na verdade, os bens já estavam apreendidos. A gente vai parar de opor resistência à alienação antecipada desses bens”, disse o advogado.

Leia mais:
Justiça nega pedido de transferência de Cabral para outro presídio