Quando Donald Trump assumiu a presidência dos Estados Unidos, chegou a comparar o desequilíbrio da venda de carros de luxo alemães naquele país e o fraco desempenho das barcas ianques no Velho Mundo. Pelo visto, o republicano não era desentendido apenas de política e diplomacia, mas de carros também.

cadillac
A Cadillac deixou de ser aquela marca que vendia enormes barcaças para senhores e aposta numa roupagem mais esportiva para atrair um público que busca esportividade

E é fato que não se compara um carro premium alemão com nenhum modelo de prestígio norte-americano. E a GM sabe disso. E uma resposta para entregar desempenho e sofisticação está na Cadillac. O CT4-V Blackwing estreia para fazer frente às versões apimentadas de Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C.

Definitivamente, trata-se de uma missão inglória, mas o CT4 ganhou um V6 biturbo 3.6 que entrega generosos 472 cv e 60 mkgf de torque. Números que colocam esse Caddy em condição de igualdade para encarar RS4, M3 e C63.

O motor do CT4-V Blackwing foi trabalhado para entregar o máximo de performance. Ele conta com bielas em titânio, sistema que borrifa óleo nos pistões e outros ajustes para garantir que o bloco não vá travar quando estiver com conta-giros na faixa vermelha.

Mas para ser um carro visceral é preciso contrariar o gosto popular. O CT4 endiabrado vem equipado com transmissão manual Tremec de seis marchas. Isso mesmo, tem que pisar na pesada embreagem de disco duplo da LuK e trocar de marchas na hora que o ponteiro bate os 5 mil rpm.

Parece que Trump reclamou com as pessoas erradas. Deveria ter ido para Detroit e não esculachar os alemães.

Leia Mais:
Teste: Fiat Toro Ultra é o sedã grande que italiana sempre sonhou
Bentley Continental R Mulliner marcou época ao unir rebeldia e luxo
Apresentado em 2008, Scion Hako era a proposta da marca jovem da Toyota