Com a disputa pelo Governo de Minas concentrada entre Antonio Anastasia (PSDB), Fernando Pimentel (PT) e Romeu Zema (Novo), os demais postulantes ao Palácio da Liberdade votaram na manhã deste domingo (7), e evitaram adiantar um possível apoio no segundo turno da eleição.

Candidato pelo MDB, Adalclever Lopes votou em um colégio no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, ao lado da candidata à vice Adriana Buzeli, e fez um balanço da trajetória da sua candidatura até o momento.

“Foi uma campanha bonita, sem ódio, sem rancor, uma campanha de inclusão. Foi a proposta que eu e Adriana (Buzelin) fizemos. Foi muito positiva, e pudemos tratar de temas muito interessantes que a sociedade vai refletir”, afirmou.

Em relação a um possível apoio a algum candidato que esteja no segundo round das eleições, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) pregou cautela. “Primeiro temos que esperar os resultados. Eu, Adriana e todos aqueles que nos apoiaram vamos fazer uma avaliação pós votação”.

Candidato da Rede ao Governo de Minas, João Batista Mares Guia votou em um colégio no bairro Serra, também na zona Sul da capital, ao lado dos netos e do filho mais velho. Mares Guia destacou as diretrizes abordadas durante a campanha e se disse orgulhoso do projeto apresentado.

“Foi uma campanha muito elevada, nunca fizemos um ataque pessoal a quem quer que seja. Toda a campanha foi propositiva, apresentamos propostas fundamentadas para as áreas de educação ciência e tecnologia, cultura, infraestrutura, sobre a crise econômica e a estagnação fiscal do Estado de Minas Gerais, meio ambiente, enfrentamento da pobreza”.

O sociólogo afirmou que a decisão sobre o posicionamento do partido no segundo turno vai ser definido em uma reunião após a apuração dos votos.

Dirlene Marques

Dirlene Marques (Psol) votou em uma escola estadual no bairro Santo Antônio, região Centro-Sul de BH, e fez questão de enaltecer o trabalho realizado durante a corrida ao Palácio da Liberdade.  

“Fizemos uma campanha extremamente positiva, porque nós circulamos por todo o interior, conversamos com toda a sociedade percebemos toda a insatisfação existente em relação à política, a desesperança, mas ao mesmo tempo a sensibilidade com a nossa campanha”, pontuou.

Dirlene ainda não sinalizou se vai apoiar algum candidato no segundo turno.

Claudiney Dulim (Avante) votou em uma escola na região do Barreiro, e Jordano Metalúrgico (PSTU), no Senai de São João Del Rei, na região dos Campos das Vertentes.

Leia mais:

Polarização na eleição é destaque na imprensa internacional

Antigo rival de eleição, João Leite rebate Alexandre Kalil sobre críticas ao PSDB