A Volkswagen encerrou a produção do Up. O subcompacto lançado em 2014 é um dos modelos recentes com vida mais curta na gama VW. Fabricado em Taubaté (14), o carrinho trazia construção moderna e estreava o motor três cilindros de 82 cv. Apesar das virtudes, ele subiu no telhado.

 

O carrinho seguia o conceito da versão europeia. Lá, o Up foi projetado para ser o modelo de entrada, com acabamento simplificado, com metais à mostra, quadro de instrumentos minimalista, apenas quatro lugares, tampa do porta-malas em vidro. Ou seja, era o carrinho de baixo custo dentro do padrão europeu.

Para o mercado brasileiro, no entanto, a Volks esticou a traseira para acomodar o estepe no porta-malas e conseguiu homologar o carro para cinco ocupantes. Aqui ele deveria cumprir a função de carro familiar, mesmo que isso custasse qualquer indício de conforto.

No entanto, na virada para 2021, a VW apresentou a versão Xtreme com lotação máxima de apenas quatro pessoas. E para deixar claro que no banco traseiro só poderiam viajar dois passageiros, a marca chegou a estampar um aviso de que era proibido sentar no antigo banco do meio. 

Up turbinado

O Up também foi responsável pela estreia do motor TSI 1.0. Para o carrinho, a VW calibrou o motor para entregar 106 cv e 17 kgfm de torque. Tanto que ela denominou a unidade como 170 TSI, em alusão ao volume de força.

O grande senão do Up sempre foi o preço, que o colocava em desvantagem diante dos concorrentes diretos, Fiat Mobi e Renault Kwid. No entanto, ele também levava a pior numa briga caseira com Gol e Fox, que, dependendo da versão, entregavam mais por menos.

Ao longo de sua trajetória, o Up vendeu pouco mais de 220 mil unidades. No ano passado, seus emplacamentos ficaram abaixo das 7 mil unidades e este ano, o carro fechou o trimestre com exatos 1.839 licenciamentos. 

Uma pena, pois o Up é muito mais qualificado que Fox e Gol, O problema é que a VW salgou demais o preço do carrinho para amortizar seu padrão europeu.