coletiva

Expectativa do Ministério da Saúde é trabalhar com 22 milhões de testes de diagnóstico

Os números divulgados nesta terça-feira (24) pelo Ministério da Saúde sobre a pandemia de Covid-19 mostram recuo no percentual de aumento de casos confirmados mas, por outro lado, salto preocupante no número de mortes. De acordo com o balanço apresentados em Brasília pelo secretário-executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, e pelo secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, o total de diagnósticos positivos para o novo coronavírus registrados pelas secretarias estaduais de saúde chegou a 2.201 - elevação de 16% em relação à véspera. Os óbitos, no entanto, saltaram de 34 para 46 (35,2%). Todos ainda confirmados em São Paulo (40) e Rio de Janeiro (6). O percentual de letalidade da epidemia no país subiu de 1,8 para 2,1%.

O Ministério prossegue no esforço para intensificar os testes de diagnóstico, especialmente nas capitais e cidades de maior porte. A Petrobras confirmou a doação de 600 mil kits de testes rápidos que começam a chegar ao país na semana que vem. Ao todo, a expectativa é de contar com 22 milhões de kits entre testes rápidos e de diagnóstico, seguindo a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Gabbardo destacou que a pasta trabalha com um espectro de 86 casos não detectados para cada 14 confirmados e reforçou que os especialistas trabalham com uma elevação máxima de 33% da curva de contágio a cada dia, como indício de que a pandemia está dentro de uma linha de controle. Segundo o secretário, a recomendação do Ministério em relação ao isolamento social se mantêm: pessoas com sintomas (inclusive em estado gripal) devem se manter em casa por pelo menos duas semanas, enquanto idosos devem evitar saídas, salvo em casos de necessidade extrema.

Balanço

Digite aqui a legenda