A luta do presidente da Catalunha, Artur Mas, pela soberania da região recebeu um novo estímulo nesta terça-feira, informou o diário espanhol El País. O procurador-geral da União, Eduardo Torres-Dulce, decidiu forçar a remoção do promotor chefe da Catalunha, Martin Rodriguez Sol, após ele defender a legitimidade de uma consulta jurídica sobre o futuro da Catalunha. Isso deu novos argumentos ao presidente catalão para promover e acelerar o seu desafio.

Para o governo catalão, não há dúvidas de que o governo central de Madri, do primeiro-ministro Mariano Rajoy, está por trás da demissão do procurador Rodriguez Sol. Some-se a isso o recurso para o Tribunal Constitucional que o Poder Executivo anunciou contra a declaração de soberania aprovada pelo Parlamento da Catalunha, em janeiro.

A decisão de Madri serviu para que Mas concluísse que o governo de Rajoy é "o menos aberto ao diálogo da história" da Espanha. Segundo o El País, a ação do governo central deu ainda novos estímulos para que Mas consiga impulsionar o processo que visa fazer uma consulta popular de autodeterminação da Catalunha em 2014.