A última quinta-feira (29) foi de intensas negociações entre os deputados para bater o martelo sobre a composição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que será eleita no domingo (1º). A chapa encabeçada pelo deputado Adalclever Lopes (PMDB) saiu fortalecida com o apoio do PSDB. “Nós nos reunimos e fechamos, de forma consensual, o apoio à chapa oficial, do Adalclever”, confirmou o deputado João Vítor Xavier (PSDB), que liderou as negociações.

O PDT do deputado Sargento Rodrigues, que tinha se lançado a candidato a primeiro-secretário, também aderiu de vez à chapa oficial. “Num gesto de grandeza, o Sargento Rodrigues retirou a sua candidatura”, afirmou o deputado Alencar da Silveira (PDT).

Diante desta configuração, a candidatura do deputado Antônio Lerin (PSB) à presidência da ALMG ficou ainda mais enfraquecida. “Acho que ela (uma possível chapa paralela) não altera nada. Lerin nem na Casa está ainda. Estamos praticamente a 48 horas da eleição e vejo a situação muito consolidada”, disse o deputado Agostinho Patrus (PV). Ele foi anunciado na quarta-feira (28) líder do bloco independente “Compromisso com Minas Gerais”. De acordo com ele, a chapa oficial “atende as maiores bancadas”, como prevê o Regimento Interno da Casa. “Mas a candidatura de Antônio Lerin é legítima”, concluiu.

A chapa oficial para nova Mesa Diretora da ALMG tem Adalclever Lopes (PMDB) para presidente; Hely Tarquínio (PV) para primeiro vice; Lafayette Andrada (PSDB) para segundo e Braulio Braz (PTB) para terceiro vices-presidentes. O cargo de secretário-geral fica com Ulysses Gomes (PT) e o de segundo secretário com Alencar da Silveira (PDT). E fecha com Doutor Wilson Batista (PSD), como terceiro secretário.