A cinco dias das eleições, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) retornou a Minas Gerais nesta terça-feira (2) para fazer um apelo para que os eleitores do Estado livrem o Brasil da dança do precipício da radicalização. "Só Minas pode ajudar a virar esse quadro porque o país não aguenta mais a polarização que teve início logo após as eleições de 2014 e que pode comprometer ainda mais a situação nacional nos próximos anos”, disse.

 Com 11% na última pesquisa eleitoral do Ibope, divulgada na segunda-feira, 1º de outubro, ele aposta no segundo maior colégio eleitoral do país e nos indecisos para chegar ao segundo turno. “A população não pode definir o voto de acordo com o resultado das pesquisas. Em 2014, as pesquisas apontavam para um cenário e o resultado das urnas foi diferente”, lembrou. O candidato foi entrevistado ao vivo por uma rádio da capital e estava acompanhado pelo prefeito Alexandre Kalil (PHS) e pelo presidente do PDT estadual, Mário Heringer.

Compromissos

Ciro Gomes também reafirmou os compromissos políticos com o Estado. “Quero ser o presidente que libertou Minas Gerais desse atual cenário de crise. Vou resolver o problema da Lei Kandir e do “buraco” previdenciário, reestruturar a dívida com a União e implementar uma agenda de infraestrutura que foi apresentada pelo prefeito da capital”, afirmou. 

O candidato reconheceu que Minas perdeu espaço no cenário político nacional. Segundo o presidenciável, “quem colocou Minas de joelhos foi Brasília. A esse pacto de poder firmado nos últimos 20 anos do país, sua manutenção e reprodução interessam uma Minas Gerais enfraquecida e que o Palácio da Liberdade (sede do governo do Estado) seja uma usina de destruição de lideranças. Quero para mim, o lugar na história do presidente que libertou Minas Gerais”, destacou.

Ciro Gomes também comentou a divulgação de trechos da delação premiada de Antônio Palocci. “Estamos vendo isso acontecer novamente. Desde 2014, o Brasil vive uma sucessão de escândalos de corrupção. O povo que não conhece a sua história tende a repeti-la como tragédia por isso eu estou aqui, me apresentando como um caminho diferente. Tenho experiência e capacidade de diálogo, o que é fundamental para este momento nacional”, disse.

Ainda nesta semana, o candidato deve retornar ao Estado, no Norte de Minas, onde vai conversar com a população local sobre trabalho para os pais, saúde para as famílias e educação para crianças e adolescentes.