Clientes do banco virtual Inter se depararam na manhã desta segunda-feira (17) com contas completamente zeradas ou com saldo negativo. Diversos usuários já relatam situações de desespero ao não conseguir fazer transações pelo banco e outros reclamam que sequer conseguiram entrar no aplicativo para visualizar detalhes da conta. 

Na página do banco no Facebook, clientes inundam de comentários a página da instituição. "Sumiu R$ 1.647 da minha conta, a atendente me diz que tem que aguardar 48hrs... Quero ver se a fatura do meu cartão de crédito vai esperar essas 48hrs sem me cobrar juros", disse um usuário. 

A contadora Ana Luiza Ribeiro, de 22 anos, relata não estar conseguindo realizar pagamentos pela plataforma. "Desde cedo estou tentando entrar no aplicativo do banco Inter. Inicialmente, só não estava carregando e não aparecia nada. Agora eu tento entrar e fala que o sistema está fora do ar e não consigo acessar o aplicativo. Preciso fazer alguns pagamentos hoje e não consigo entrar na minha conta do aplicativo", reclama. 

A analista de produção de eventos Isabela Cardoso, de 25 anos, está com medo de deixar os fornecedores na mão. "Em pré-evento, eu preciso liberar vários pagamentos para fornecedores hoje e agora não tem banco para liberar". 

A advogada especialista em Direito do Consumidor Letícia Zampier explica que, se houver outro meio de realizar as transações, o cliente deve procurar fazê-lo. "Se houver jeito, o correntista deve pagar as contas por meio de cartão ou agência. Se não há estes recursos, a orientação é reunir o maior número de provas para não ficar no prejuízo depois. Por exemplo, se a pessoa estava tentando pagar uma conta pelo aplicativo, não conseguiu e isso gerou algum tipo de multa", detalha. 

Procurada pela reportagem, o Banco Inter informou que fouve uma instabilidade no sistema pela manhã e que a falha zerou os saldos na visualização e apenas uma pequena parcela de contas foi atingida. "Os acessos de todos os correntistas foram interrompidos para que as correções dessa falha fossem feitas e o fato não representou prejuízos financeiros para nenhum correntista", informou. Ainda conforme a assessoria, todos os acessos e visualizações já foram normalizados.  

Após registrar instabilidades em seu sistema na manhã desta segunda-feira (17), o Banco Inter informou que todos os acessos e visualizações já foram normalizados. A notícia foi passada por meio de nota, na qual a instituição financeira também deu seu posicionamento final sobre o caso.

Segundo a nota enviada pelo banco à imprensa, o fato consistiu em uma instabilidade no sistema e a falha que zerou os saldos na visualização atingiu apenas uma pequena parcela de contas. Os acessos de todos os correntistas foram interrompidos para que as correções dessa falha fossem feitas. O banco Inter ressaltou que "o fato não representou prejuízos financeiros para nenhum correntista".

a assessoria da instituição informou que está apurando a situação e irá enviar um posicionamento sobre o problema em breve. Nas redes sociais, o Banco Inter tem respondido que o problema é pontual e já está atuando para resolver o problema.

O site Downdetector, que monitora a tecnologia de diversas operadores e plataformas no Brasil, também atestou a falha no Banco Inter, conforme mostra o mapa abaixo. As cidades mais afetadas foram São Paulo e Belo Horizonte:

Banco Inter

Números do banco

O Banco Inter é o antigo Banco Intermedium, criado em 1994, com sede em Belo Horizonte. Em 2015, a instituição deu início às operações como banco de varejo e, em 2017, adotou marcar Banco Inter. Em abril deste ano, o banco alcançou a marca de 2 milhões de correntistas, o que representa um crescimento de 38% em relação a dezembro do ano passado. 

O lucro líquido da empresa no primeiro trimestre de 2019 foi de R$ 12,1 milhões, um aumento de 15,7% em relação ao mesmo período de 2018. Além disso, a instituição bateu o recorde de abertura de contas nos três primeiros meses deste ano com a marca de 489 mil novas contas e 176 mil clientes ativos. 

O principal mote da plataforma é a não cobrança de tarifas para as transações e, segundo a instituição, isso já gerou R$ 1 bilhão de economia aos clientes. 

Nas lojas de aplicativos dos sistemas iOS e Android as avaliações da plataforma são positivas em sua maioria, com a média de 4,5 pontos, em um ranking de até 5 de pontuação. Só no primeiro trimestre deste ano, a plataforma contou com 55,8 milhões de acessos e teve mais de dois milhões de downloads no mesmo período. 

Leia mais:

Receita Federal paga nesta segunda-feira as restituições do 1º lote do Imposto de Renda
Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas