Apenas 84 presos, de um espectro de quase 45 mil encarcerados provisoriamente no Estado, terão garantido o direito ao voto neste domingo (28) em Minas, data de realização do segundo turno das eleições em todo o país. Os dados, obtidos pelo Hoje em Dia são da Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais (Seap-MG). Os detentos votarão em seus presídios em urnas acompanhadas por profissionais do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

O maior número de eleitores aptos a votar vem do Presídio Regional de Montes Claros, no Norte de Minas: são 45 pessoas. Em seguida, vêm o Complexo Penitenciário Feminino Estévão Pinto (18 eleitores), no bairro do Horto, região Leste da capital; a Penitenciária Deputado Expedito Faria de Tavares (16 participantes), em Patrocínio, no Alto Paranaíba; e, por fim, o Presídio Campos Gerais (5 pessoas), na cidade de mesmo nome, no Sul de Minas. 

Para participarem, os detentos interessados precisaram estar com a documentação em dia, relatar o desejo de votar e fazer o cadastramento biométrico. De acordo com o órgão, a baixa adesão ao processo no Estado pode ser explicada por esse último fator. "Muitos presos provisórios se recusaram a realizar o reconhecimento das digitais e não prosseguiram com o pedido para exercerem o voto", explicou a Seap, em nota. 

Na população carcerária, a garantia ao voto é exclusiva aos presos provisórios - pessoas em retenção, mas ainda não condenadas, que aguardam julgamento da Justiça. Em Minas, hoje, existem 44.827 detentos nessa situação. Já os presidiários condenados, cerca de 27 mil na atualidade, não têm direito ao voto. 

De acordo com a pasta, que trabalha apoiada pela Subsecretaria de Humanização do Atendimento (Suhua), o levantamento de presos provisórios com interesse e capacidade para participarem das eleições de 2018 teve início em janeiro deste ano, em um trabalho conjunto ao TRE.

Além dos detidos, 69 servidores prisionais estão cadastrados para votarem durante o expediente. As seções especiais do TRE nas cadeias, compostas por urnas eletrônicas, mesários e fiscais do Tribunal, também atenderão visitantes vindos de outros municípios, que poderão, no local, justificar a não votação.

Neste segundo turno, as seções especiais serão montadas apenas em unidades prisionais que tenham número superior a 20 eleitores. Para esse número ser alcançado, é somada a quantidade de servidores interessados em votar no próprio presídio. 

População carcerária em Minas

44.827 presos provisórios
27.173 sentenciados
72 mil no total 

* Fonte: Seap/ dados de outubro de 2018