A Portela é a grande vencedora do Carnaval carioca. O resultado pôs fim a um jejum de 33 anos sem títulos. Sob a inspiração do clássico samba do portelense Paulinho da Viola "Foi um rio que passou em minha vida", a escola retratou a tragédia de Mariana no carro alegórico "Um Rio que era Doce", um dos principais da agremiação. 

Em ano inspirado do carnavalesco Paulo Barros, A Portela mostrou uma sequência de alegorias de fortíssimo apelo visual e que usaram recursos tecnológicos surpreendentes.

Este é o quarto título de Paulo Barros no Grupo Especial. A disputa foi acirrada e a Portela saiu-se melhor que a Mocidade, o Salgueiro, a Mangueira, a Grande Rio e a Beija-Flor, que ficaram com as colocações seguintes e voltarão no sábado das campeãs. Na apuração, realizada no sambódromo, o campeonato está sendo intensamente comemorado, assim como na quadra, que fica em Oswaldo Cruz, zona norte do Rio, e já está cheia.

"O Brasil precisa da Portela, a cultura popular precisa da Portela. A Portela agora vai ter paz para ser a grande escola que ela tem que ser, não vai ter mais que carregar essa cruz do jejum. A Portela vai abraçar todas as suas coirmãs. Mais importante do que levantar a bandeira da Portela é levantar a bandeira do samba", celebrou o presidente, Luis Carlos Magalhães.