As vendas no comércio da capital mineira começaram a reagir e registraram um aumento de 5,53% em novembro do nao passado se comparado ao mês anterior, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH).

“Fatores como queda nas taxas de juros e da inflação e aumento da renda, além da Black Friday, influenciaram positivamente o desempenho do varejo”, explica o presidente da CDL, Marcelo de Souza e Silva. 

Os melhores desempenhos ficaram por conta dos setores de móveis e eletrodomésticos (8,51%), seguido de vestuário e calçados (5,45%), veículos e peças (5,43%) e drogarias e cosméticos (5,27%).

Ainda de acordo com a CDL, as vendas anuais também apresentaram um crescimento de 3,41% em novembro, na comparação com novembro de 2017. Para os especialistas, esse índice pode ser explicado pela queda da taxa de juros, que passou de 7,5% em novembro de 2017 para 6,5% em novembro de 2018, além da redução da taxa de desemprego. “Fatores como aumento da renda disponível e a maior circulação da moeda contribuíram para o aumento das vendas”, esclarece Silva.

Nos últimos 12 meses o varejo da capital também apresentou um crescimento de 3,31%. Um índice abaixo do esperado, mas com claros sinais de melhora. “Estamos vendo uma expansão ainda “tímida” do consumo das famílias. Os consumidores seguem cautelosos, tendo em vista as dificuldades para equilibrar o orçamento doméstico. Acreditamos que a definição da política econômica a ser adotada e o aumento da competitividade, proporcionará uma aceleração do crescimento econômico”, conclui Silva.