A principal resposta da Europa para a morte por afogamento de centenas de imigrantes ocorrida esta semana no Mar Mediterrâneo será combater as redes de tráfico humano, afirmou nesta quinta-feira (23)o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

"Primeiro, precisamos combater os traficantes", disse Tusk, antes de uma reunião de cúpula de emergência convocada por líderes da União Europeia após a tragédia.

Segundo Tusk, é preciso desmantelar as redes de tráfico e prejudicar seu modelo de negócios. "Esta é a melhor forma de evitar que pessoas morram afogadas, garantindo, primeiramente, que elas não entrem nos barcos", disse.

Os comentários de Tusk sugerem que os governos europeus não deverão apoiar uma grande expansão das operações de resgate em alto mar.

O governo da Itália iniciou no passado uma operação do gênero, batizada de "Mare Nostrum", após um naufrágio próximo à ilha de Lampedusa ter causado a morte de centenas de pessoas em outubro de 2013. A operação, no entanto, foi encerrada em outubro do ano passado e substituída por esforços menores de resgate coordenados pela Frontex, a agência europeia de segurança das fronteiras.

Autoridades da UE estão estudando a possibilidade de dobrar os gastos dessas operações, embora o alcance dos esforços da Frontex continuaria sendo menor que os da Mare Nostrum. Fonte: Dow Jones Newswires.