A conta de energia elétrica sofrerá dois reajustes a partir do próximo mês. Além do que foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o consumidor da Cemig, de 6,93% para o residencial, 7,89% para os pequenos negócios como o comércio, e de 10,71% para a alta tensão (indústria), a agência também reajustou os valores das bandeiras tarifárias em até 50%. Em ambos os casos, a escassez de chuvas é apontada como causa da alta.  

No caso da Cemig, as novas tarifas começam a valer a partir da próxima terça-feira (28), com impacto na conta de junho. Já as bandeiras tarifárias serão reajustadas a partir de 1º do próximo mês. A bandeira amarela passa de R$ 1,00 a R$ 1,50 a cada 100(Kwh), a bandeira vermelha no patamar 1 vai de R$ 3,00 para R$ 4,00 a cada 100 (Kwh), e no patamar 2, de R$ 5,00 para R$ 6,00 a cada 100 (Kwh). Na bandeira verde, não há cobrança de taxa extra.

Neste mês, está em vigor a bandeira amarela, que, caso mantida para junho, trará um reajuste de 50% na cobrança. No final de abril, a agência avaliou que o patamar da produção hidrelétrica já refletia a diminuição das chuvas, elevando o risco hidrológico e motivando o acionamento da bandeira amarela.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira está relacionada aos custos da geração de energia elétrica. Também houve mudança na metodologia, que retratará com maior precisão a produção da energia hidrelétrica e a conjuntura energética do sistema, segundo a agência.

Causas

A Cemig explica que o que mais pesou no reajuste foi a escassez de chuvas no ano passado, quando as usinas termelétricas, que são mais caras para produzir energia, foram acionadas constantemente em quase todo o segundo semestre.  Segundo o gerente de Tarifas da Cemig, Giordano Bruno Braz de Pinho Matos, a Cemig teve uma despesa adicional de R$ 1,5 bilhão para comprar energia até fevereiro deste ano e garantir o fornecimento aos clientes mineiros. "Apesar do alto custo de produção de energia, as usinas termelétricas são essenciais para garantir o fornecimento dos consumidores em períodos de escassez de chuva, que têm predominado no Brasil nos últimos anos", aponta.

O gerente explica que o consumidor deve perceber o reajuste total a partir da fatura de junho, que possui vencimento em julho. "As datas de leitura das contas de energia são distribuídas ao longo do mês. Assim, em junho, os consumidores pagarão uma parte do consumo ocorrido antes de 28 de maio, ainda conforme a tarifa antiga, e a outra parcela do consumo já com o reajuste da tarifa", conclui.

A Cemig conta com cerca de 8,4 milhões consumidores distribuídos em 774 municípios mineiros. Para quem vai precisar acomodar os reajustes no orçamento, a orientação é tentar economizar.

Veja algumas dicas:

Lâmpadas

• Na hora de comprar novas lâmpadas, dê preferência a lâmpadas fluorescentes compactas ou circulares para qualquer local que fique com as luzes acesas por mais de quatro horas por dia.
• Uma lâmpada fluorescente convencional de 40 W ilumina mais que uma incandescente de 150 W, além de durar dez vezes mais.
• Pinte paredes e tetos com cores claras. Elas refletem melhor a luz, diminuindo a necessidade de iluminação artificial.
• Utilize somente lâmpadas de 127 ou 220 V, compatíveis com a tensão da rede da Cemig.
• Evite acender lâmpadas durante o dia e use mais iluminação natural.

Ferro elétrico

• Deve ser ligado quando houver uma grande quantidade de roupa para passar.
• Evite ligá-lo nos horários em que muitos outros aparelhos estiverem ligados. Ele sobrecarrega a rede de energia elétrica.
• Não deixe o ferro elétrico ligado sem necessidade.
• Siga as instruções de temperatura para cada tipo de tecido.
• Regule a temperatura, no caso dos ferros automáticos. As roupas mais delicadas devem ser passadas primeiro. Ao final, você pode desligar o ferro e aproveitar seu calor para passar roupas leves.

Geladeira/Freezer

• Ao comprar geladeira ou freezer, observe se o produto possui o Selo Procel de Economia de Energia. Considere também as instruções da etiqueta laranja, que indicam o consumo médio mensal. 
• A instalação deve ser feita em local bem ventilado, evitando a proximidade com o fogão e com aquecedores ou áreas expostas ao sol. Deve haver um espaço mínimo de 20 cm dos lados, acima e no fundo, no caso de instalação entre armários e paredes.
• Não utilize a parte traseira do refrigerador para secar panos e roupas.
• Regule o termostato adequadamente em estações frias do ano. Consulte o manual do fabricante.
• As portas da geladeira ou do freezer não devem ficar abertas por tempo prolongado. O usuário deve organizar os alimentos de forma a perder menos tempo para encontrá-los.
• As prateleiras não devem ser forradas com plásticos ou vidros, pois isso dificulta a circulação interna do ar.
• Não desligue sua geladeira ou freezer à noite para ligá-los na manhã seguinte.
• Conserve as serpentinas limpas.
• Quando se ausentar de casa por tempo prolongado, esvazie a geladeira e o freezer e desligue-os da tomada.

Chuveiro elétrico

• Este é um dos aparelhos que mais consomem energia. O ideal é evitar o uso no horário de ponta, entre 17 e 22 horas.
• Deixe a chave na posição menos quente (verão). Dessa forma, você economiza cerca de 30% de energia.
• Feche a torneira para se ensaboar.
• Não tente aproveitar uma resistência queimada. Isso acarreta aumento no consumo de energia e é perigoso.
• Limite seu tempo debaixo da água quente. 
• Utilize resistências originais, verificando a potência e a voltagem correta do aparelho.
• Jamais faça emendas ou adaptações. Esse procedimento aumenta o consumo de energia e causa sérios danos à instalação e ao chuveiro.

Fonte: Cemig