As contas remuneradas dos bancos digitais têm sido uma grande alternativa, inclusive em relação à poupança. Segundo o educador financeiro Danilo Gato, enquanto a poupança tem rendido atualmente 70% da taxa Selic, essas contas rendem 100% dos juros básicos da economia, hoje em 2%. “Além da rentabilidade menor da poupança, ela só vai entregar a rentabilidade quando o investimento fizer aniversário. Nos bancos digitais, caiu na conta já está rendendo”, explica.

Segundo ele, essa modalidade de investimento está ficando cada vez mais atrativa e os bancos digitais estão começando a oferecer esse tipo de opção justamente para conquistar mais clientes.

Danilo

Danilo Gato, educador financeiro

“A diferença se torna maior quanto a taxa de juros está mais alta. Com a Selic em 2% ao ano, se você colocar R$ 100 mil na poupança, em um ano ela renderia R$ 1.400 livre de impostos. O mesmo valor na conta remunerada, daria 100% da taxa Selic (R$ 2 mil), só que pagaria 20% de imposto de renda. Então, o investidor teria R$ 1.600 no ano. Essa diferença fica muito grande quando a taxa Selic passa de 8,5%”, explica.

Para o pequeno aplicador, ele aconselha neste momento os investimentos em títulos de renda fixa, principalmente os atrelados à taxa de inflação, como os CDBs com liquidez diária, além das LCIs, LCAs e as Letras de Câmbio. “O Boletim Focus do Banco Central está ajustando a previsão de IPCA para cima, porque a inflação está subindo cada vez mais. É de se esperar que vai ser um ano de inflação alta”, afirma.

Segundo Gabriel Ribeiro, head de produtos e alocação da Messem Investimentos, com a Selic em 2% muitos gestores de investimentos reduziram as taxas de administração para atrair a clientela, o que garante uma boa oportunidade para pequenos investidores acessarem bons fundos de investimento. “Fundos multimercado e de renda fixa existem boas oportunidades. Quando se olha a previsão de juros mais altos, é interessante também investimentos em ativos pós-fixados, como os CDBs”, disse.

Leia mais:

Resgate recorde no Tesouro Direto: saques superaram vendas em R$ 734 milhões