A força-tarefa da Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG), criada em 28 de abril deste ano para agilizar o julgamento de processos disciplinares, demitiu 126 servidores. O dado é referente aos trabalhos realizados em 49 dias.
 
O número de servidores exonerado superou a soma de expulsões dos últimos dois anos, sendo 56 demitidos em 2014 e 58 em 2013. Conforme a CGE-MG, somente em junho foram 63 funcionários excluídos dos quadros do Estado. 
 
Abandono e acúmulo de cargos, além de supostos atos de corrupção estão entre os ilícitos apurados. Dentre as punições aplicadas, também houve 53 suspensões e 71 repreensões, outros 144 servidores foram absolvidos.
 
Balanço
 
Segundo a controladoria, a região Central de Minas acumula o maior número de expulsões, foram 70 (55,5%) este ano, totalizando 429 nos últimos nove anos (46%). As secretarias de Estado de Educação, de Saúde e de Defesa Social são as pastas com maior número de servidores demitidos desde 2007.
 
“Concluída a força tarefa, nós iremos reforçar a atuação da correição principalmente, nas regiões, órgãos e entidades do Estado que não receberam a devida atenção. Além disso, iremos focar nas demissões relacionadas ao combate à corrupção”, garantiu o Subcontrolador de Correição Administrativa, Rafael Amorim de Amorim.