A Coreia do Sul disse nesta quarta-feira (10) que uma investigação inicial concluiu que agentes do governo norte-coreano estavam por trás de um ataque cibernético ocorrido em março. Na época, o incidente desativou cerca de 32 mil computadores e servidores em emissoras e bancos sul-coreanos.

Segundo Chun Kil-soo, da agência sul-coreana de segurança de internet, o ataque foi similar a uma ação norte-coreana feita no passado.

Ele disse que os investigadores acreditam que seis computadores na Coreia do Norte foram usados para acessar servidores sul-coreanos e que foram explorados mais de 1.000 endereços de IP no exterior. Aparentemente, segundo Chun Kil-soo, o ataque havia sido planejado por cerca de oito meses antes de ser lançado.

A acusação ocorre em meio a escalada de tensões na península coreana, com a Coreia do Norte aumentando sua retórica beligerante por causa das sanções da ONU e dos exercícios militares conjuntos entre Estados Unidos e Coreia do Sul. Na terça-feira, o Norte disse que uma guerra nuclear é iminente e recomendou que os estrangeiros na Coreia do Sul se retirem para lugares mais seguros. As informações são da Associated Press.