Foi na calada da noite (aqui no Brasil) que a Toyota revelou o Corolla Cross, SUV de porte médio, que será fabricado em Sorocaba, em 2021. O modelo, que chegará para competir no segmento em que o Compass é líder absoluto, bota fim ao mistério de qual seria o jipinho da marca japonesa, que até hoje vem negligenciando o nicho mais movimentado da indústria.

 

O Corolla Cross é uma espécie de versão encolhida do RAV 4 (que nasceu compacto, mas cresceu demais com o passar das gerações). Mas o estilo é mais agradável que do irmão maior, com linhas mais suaves, apesar de muitos vincos e caixas de rodas trapezoidais que deixam o SUV com perfil musculoso. A seção frontal se destaca pela grade que remete ao irmão maior, assim como os faróis mais afilados.

O utilitário é construído sobre a plataforma TNGA, que é utilizada para a fabricação da atual geração do Corolla. Ou seja, ele terá opção de motorização híbrida, que utilizará o mesmo conjunto do sedã, que combina bloco 1.8 de 101 cv com módulo elétrico 72 cv, gerando algo em torno dos 122 cv combinados. 

Pode parecer pouco mais a união dos 14,5 mkgf de torque da unidade quatro cilindros com os 16,6 mkgf do elétrico garantiram força e agilidade ao SUV. Para quem busca algo mais pujante, ele também será oferecido com o motor flex 2.0 de 177 cv. A transmissão será automática do tipo CVT, com emulação de 10 velocidades. 

Equipamentos

O pacote de conteúdos do Corolla Cross é farto e seguirá o padrão do sedã, com direito a direção elétrica, ar-condicionado digital de duas zonas, com saídas para os bancos traseiros, sistema multimídia (com câmera de ré, Apple CarPlay, Android Auto e conexão com app da marca), teto solar elétrico e partida sem chave, como indica a apresentação do modelo tailandês. 

Ele ainda conta com bancos em couro, com ajustes elétricos para o motorista, quadro de instrumentos parcialmente digital, sete airbags, controle de cruzeiro adaptativo (ACC), dentre outros conteúdos, como chave presencial, retrovisores com rebatimento elétrico e sensor de ponto, assim como abertura automática do porta-malas por meio de sensor sob o para-choque.

Agora é esperar a Toyota quebra o silêncio e confirmar a data de lançamento. Pois o sono da concorrência, ela já tirou, agora é aliviar a ansiedade.