De olho no filão do bem-estar e das atividades físicas, as corridas ganham as ruas de Belo Horizonte. O hobby, que por ano movimenta R$ 3,1 bilhões no país, segundo o Sebrae, atrai milhões de interessados dos mais diversos públicos e idades e até mesmo fomenta outras modalidades que podem ser praticadas ao ar livre, como pilates, ioga e ginástica funcional. Assessorias esportivas, educadores físicos, fisioterapeutas e atletas profissionais aproveitam a febre para aumentar o faturamento. 

Há 12 anos no mercado, a LEG Sports, produtora mineira de eventos esportivos, projeta faturar R$ 12 milhões em 2019, aumento de 33% contra os R$ 9 milhões embolsados no ano passado. A empresa, que organiza corridas no Brasil inteiro, prevê crescimentos estratosféricos para o setor em Minas nos próximos anos. 
Entre os eventos realizados pela produtora estão “Corra para a Night”, ”Crazy Run” e a “Color Race”. 

“O mercado de Minas Gerais cresceu muito nos últimos três anos, mas ainda é tímido. Tem muito potencial e espaço para crescer”, afirma o CEO da LEG, Fábio Avelar. De acordo com ele, das 38 corridas realizadas no país em 2018, 90% foram fora do Estado. 

E ele já se prepara para ocupar a lacuna que existe em Minas. “Estamos trabalhando para trazer duas franquias de corridas inspiradas em filmes no ano que vem e queremos colocar Belo Horizonte no circuito”, adianta. 

Avellar explica que as corridas deixaram de ser apenas uma prática esportiva para se transformar em um evento social. “As pessoas fazem amizade, dançam, se divertem”, comenta.

A professora e corredora amadora Zaline Emiliana Sollar Brito ajuda a engordar os números do setor. Ela, que encontrou na corrida uma válvula de escape para os problemas do dia a dia, investe aproximadamente R$ 600 por mês com academia para reforço muscular, nutricionista, suplementação, inscrições em provas e assessoria esportiva. 

No valor não estão contemplados gastos com roupas, tênis e viagens. “Comecei a traçar metas. Ano passado, eu participei da Volta da Pampulha e da São Silvestre. Neste ano, corri a meia maratona de Florianópolis”, comenta.

E ela não se arrepende do investimento. “É algo que eu gosto e vivo, virou um estilo de vida. Mas não dá para comprar tudo porque o mercado é amplo demais”, diz. Entre os produtos desenvolvidos para quem pratica a atividade existem creme que não deixa o cabelo embolar durante a corrida, filtro solar com base que não escorre e meia que não deixar dar bolha nos pés. O céu é o limite.

 

Número de treinadores em praças públicas sobe 22%

O fenômeno das corridas de rua fomenta as atividades ao ar livre. Entre o ano passado e 2019 houve aumento de 22% na quantidade de profissionais que dão aulas nas praças públicas, conforme o presidente da Associação dos Treinadores de Minas Gerais (ATMG), Antonio Marco Firmino, o professor Toninho.

“Além de se exercitarem, as pessoas interagem, formam grupos que saem depois da atividade, se encontram no final de semana. Há até networking profissional”, diz.

Ele, que também é diretor da Movimenta Consultoria Esportiva, que além de assessoria promove eventos, vê o crescimento do setor na prática. “As pessoas nos procuram cada vez mais”, afirma.

Há 13 anos no mercado, a Teo Sports mantém grupos de treinamento no Buritis, na Pampulha e no Belvedere, onde está a sede da empresa. Conforme o sócio proprietário, Thiago Aguiar, as pessoas normalmente começam a correr nas provas dos finais de semana como forma de se divertir, mas acabam tomando gosto pela atividade e procuram a assessoria. 

“Esse acompanhamento é extremamente importante para aumentar a produção e reduzir lesões”, comenta o empresário, que está à frente de uma equipe de 11 educadores físicos. 

Embora ele não detalhe os números, Aguiar revela que trabalha no limite. “Crescemos muito ano a ano”, diz. Em BH, o valor médio das assessorias gira em tono de R$ 140 e R$ 180.

A proprietária do estúdio de pilates Control F, Fabiana Gonçalves Cerqueira Lima, viu nas praças públicas da cidade uma forma de conquistar clientes e aumentar o faturamento. Ela, que possui estúdio no bairro Sion, se aliou à professora de yoga Fernanda Silvestre para ampliar o negócio. Ao final das aulas, elas convidam os alunos para uma prática livre de acroyoga. 

“Muita gente que corre na região nos vê e depois volta para a aula. Alguns viram clientes do estúdio”, comemora Fabiana.

 

SAIBA MAIS

De olho nos bons desempenhos das corridas de rua, shoppings e empresas de telefonia atrelam as marcas aos eventos esportivos. Além de marcar espaço e atrair clientes, elas ajudam a aumentar a atividade no país. É o caso do DiamondMall, que recebeu a 20ª edição do Encontro Delas, tradicional corrida feminina. O evento, segundo a assessoria de imprensa, movimentou o mall em todo o fim de semana de 14 e 15 de setembro. No domingo (15) houve um incremento de 15% no tráfego do shopping. 

“Duas mil mulheres participaram da corrida, a maioria acompanhada por familiares, amigos, bichos de estimação, o que permite grande socialização. A corrida funciona também como reforço institucional da marca e amplia a interação do shopping com seus consumidores”, diz o shopping.

No BH Shopping, a movimentação aumenta nos dias que antecedem a corrida, principalmente por conta das trocas de kits. “No dia da realização da prova é mais institucional, reforço de marca”, diz a assessoria do complexo de compras, que recebe a Track&Field Run Series em 13 de outubro.

O Shopping Del Rey, que recebeu a Color Race no domingo passado (15), também aproveitou o embalo das corridas para atrair o público. “O Del Rey está em um processo de reposicionamento de marca. Ser o ponto de largada/chegada da Color Race atraiu um público diferenciado ao mall. Muitas pessoas estavam nos visitando pela primeira vez e saíram daqui com uma boa impressão da nossa estrutura de serviços”, afirma Marina Moura, gerente de marketing do mall.

Para a Tim, que apoiou a corrida “Onde está Wally?” e vai apoiar a “Night Nation Run”, no dia 28, e a “Corrida Insana”, no dia 6 de outubro o envolvimento com a atividade permite reforçar a identidade da marca. “O evento proporciona o lazer para toda a família, além de promover um estilo de vida mais saudável para toda as gerações. Com esse apoio, continuamos investindo e apoiando no esporte, reforçando a identidade da marca e aproximação com seu público”, diz Bruno Vasconcellos, Diretor Comercial da Regional Sudeste.