Proteger pessoas com deficiência. Esse é o objetivo da campanha “Autismo – Discriminção é crime”, lançada pela Defensoria Pública de Minas Gerais para conscientizar a população que discriminar esse público pode resultar em até três anos de cadeia.

As estimativas são de que 2 milhões de brasileiros tenham Transtorno do Espectro Autista (TEA). Em todo mundo, 70 milhões de pessoas. A síndrome é caracterizada por problemas na comunicação, na socialização e no comportamento, geralmente, diagnosticada entre os 2 e 3 anos.

De acordo com especialistas, um dos principais problemas enfrentados por essas pessoas é a discriminação. Mas, por lei, esse comportamento é crime e pode dar penas de 1 a 3 anos de prisão.

O defensor público Luís Renato Braga Arêas Pinheiro, idealizador do projeto Inclusão Verde Mundo, da Defensoria Pública, conversa com a repórter Maria Amélia Ávila sobre os direitos das pessoas com Transtorno do Espectro Autista neste domingo (20), às 13:30.  A live será transmitida pelo Instagram do Hoje em Dia.

Leia Mais:
Voltado à inclusão de deficientes, Centro de Referência do Superar tem obras concluídas pela PBH
'Criança autista não é só um diagnóstico, ela precisa de cuidados', diz psiquiatra infantil
Você sabe como identificar se uma criança tem autismo? Especialista explica