Além das paralisações no transporte público e nas estradas, realizadas no início da manhã desta sexta-feira (30) em Salvador as delegacias de Polícia Civil só atendem casos de emergência, como prisões em flagrante e levantamentos cadavéricos. Apenas 30% do efetivo trabalha.

Os policiais reivindicam melhorias no plano de carreira, nas condições de trabalho e nos planos de aposentadoria, além da instituição de um piso salarial nacional para a categoria.

O ato faz arte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação convocado pelas centrais sindicais, que promete protestos por todo o País.